Links

EXPOSIÇÕES ATUAIS


Pedro Valdez Cardoso e 'A linguagem perdida dos guindastes' de David Leavitt.


'A linguagem perdida dos guindastes' de David Leavitt, ed. Presença & 'Interviews, conversations and chit-chat (1986-2004)', Mike Kelley, ed. By John C. Welchman.


Joana Linda e “Wim Wenders: Once” de Wim Wenders.


“Wim Wenders: Once” by Wim Wenders.


Ana Perez Quiroga.


'Un apartamento en Urano: Crónicas del Cruce' de Paul B. Preciado.


João Leonardo.


"Sol LeWitt a Life of Ideas" de Larry Bloom & "On Being an Artist" de Michael Craig-Martin.


Susana Anágua e 'A Reinvenção do Real' de David Santos.


'A Reinvenção do Real' de David Santos.


Pedro Vaz e 'Os frutos da terra' de Knut Hamsun.


Pedro Vaz e 'Os frutos da terra' de Knut Hamsun.


Joana Aparício e 'A Ilha do Dia Antes' de Umberto Eco.


'A Ilha do Dia Antes' de Umberto Eco.


Cristina Regadas e "Austerlitz" de W.G. Sebald (2001).


Cristina Regadas e


Thierry Ferreira.


“Arte na Cidade” de Mário Caeiro, “Poesia” de by Daniel Faria e “O poder do Agora” / “The Power of Now” de by Eckhart Tolle.

Outras exposições actuais:

MAJA ESCHER

UM DIA CHOVEU TERRA


Galeria Municipal de Arte de Almada, Almada
CATARINA REAL

COMPETIÇÃO EXPERIMENTAL

CURTAS VILA DO CONDE IFF 2020


Teatro Municipal de Vila do Conde, Vila do Conde
DASHA BIRUKOVA

ANGELO GONÇALVES

ESTANQUE


Galeria TREM, Faro
MIRIAN TAVARES

COLECTIVA

PAUSA | LIVROS - PARTE IV


PLATAFORMAS ONLINE,
SÉRGIO PARREIRA

DOROTHEA LANGE

WORDS & PICTURES


MoMA - The Museum of Modern Art, Nova Iorque
MAURO SANTOS GONÇALVES

COLECTIVA

A IDADE DE OURO DO MOBILIÁRIO FRANCÊS. DA OFICINA AO PALÁCIO


Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa
CARLA CARBONE

TÚLIA SALDANHA

UMAHORA VI


Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, Bragança
LAURA CASTRO

DIOGO TUDELA

VOCAL TRACT / BLACK HOLE / VENT SHAFT (PART I)


gnration, Braga
CATARINA REAL

COLECTIVA

FAZER DE CASA LABIRINTO


Balcony, Lisboa
DIOGO GRAÇA

JAMES NEWITT

FOSSIL


Carpintarias de São Lázaro, Lisboa
DIOGO GRAÇA

ARQUIVO:


COLECTIVA

PAUSA | LIVROS - PARTE III




PLATAFORMAS ONLINE



23 MAR - 31 AGO 2020


 

[for the English version click here]

 

 

Terceira parte da “exposição” literária visual, resultante da participação de mais de quarenta artistas e que fomos publicando no nosso Instagram artecapital.net a partir do dia 23 de Março 2020.

O projeto PAUSA teve a autoria e curadoria de Sérgio Parreira.

 


PEDRO VALDEZ CARDOSO
'A linguagem perdida dos guindastes' de David Leavitt, ed. Presença & 'Interviews, conversations and chit-chat (1986-2004)', Mike Kelley, ed. By John C. Welchman
“Estávamos em 1990, e esse foi o ano em que descobri dois autores importantes para mim até hoje, ambos americanos, por coincidência. Um colega de liceu emprestou-me um livro com um título bizarro, um romance sobre identidade e sexualidade num estilo neo-realista do pós-modernismo americano que consumo até hoje. Foi libertador pois até então as referências literárias e poéticas eram maioritariamente francófonas. Foi um livro muito importante para a definição do meu gosto futuro em literatura e até para uma certa afirmação de liberdade individual. | O segundo livro que proponho é uma compilação de entrevistas realizadas ao artista Mike Kelley, cujo trabalho conheci também em 1990. Este artista permanece até hoje no meu top ten e foi absolutamente definidor da forma como vejo e faço arte e sobretudo da arte que gosto.”

 

 

Interviews, conversations and chit-chat (1986-2004), Mike Kelley, ed. By John C. Welchman.

 

 

JOANA LINDA
“Wim Wenders: Once” de Wim Wenders. Comprei este livro em 2001, na minha primeira viagem a Nova Iorque, pouco depois do 11 de Setembro. Não tenho particular fascínio pelo imaginário americano, nem pelo Wim Wenders, mas apaixonei-me pela fotografia da contra-capa e pela história que a acompanha. Um dia, enquanto passeava em Monument Valley, Wenders encontrou um casal a tentar mudar um pneu, eram a Isabella Rossellini e o Martin Scorsese. Este livro é um diário de viagens e de encontros em que, como ele próprio diz: “Every photo is the first frame of a movie”.

 


 

 

ANA PÉREZ QUIROGA 
“Un apartamento en Urano: Crónicas del Cruce” de Paul B. Preciado. Leio sobre assuntos que me são próximos e considero que são importantes aprendizagens para mim e para lidar com a vida a determinado momento. Paul B. Preciado é um escritor, filósofo e curador transgénero que trabalha questões relacionadas com a identidade, género e pornografia. “Ellos dicen representación. Nosotros decimos experimentación. Dicen identidad. Decimos multitud. Dicen lengua nacional. Decimos traducción multicódigo. Dicen domesticar la periferia. Decimos mestizar el centro. (...)” Un apartamento en Urano. Crónicas del cruce (Anagrama). p. 40. Parece-me fundamental, neste momento em que o sistema de vivência comum caiu por terra e não vivemos como estávamos habituados ou da forma que nos foi imposta, questionar outros sistemas nos quais nos vimos incluídos sem questionamento.

 

JOÃO LEONARDO
"Sol LeWitt a Life of Ideas" by Larry Bloom & "On Being an Artist" by Michael Craig-Martin. Sempre gostei de ler biografias, autobiografias e escritos de artista, assim recomendo estes dois. "Sol LeWitt a Life of Ideas," de Larry Bloom, publicado o ano passado, é uma narrativa biográfica detalhada e fascinante de um artista influente mas um pouco tímido e reclusivo. Na pesquisa exaustiva que fez, o autor do livro contactou–me e dei o meu próprio testemunho e contributo sobre o seu legado.
"On Being an Artist" de Michael Craig-Martin é uma compilação de pequenos textos autobiográficos sobre uma diversidade de assuntos ligados a arte. É um livro absolutamente maravilhoso, divertido, incisivo, acessível, despretensioso mas não menos profundo e interessante para qualquer artista pelo que o recomendo vivamente.

 

SUSANA ANÁGUA 
“A Reinvenção do Real” de David Santos. A escolha do livro de David Santos “A Reinvenção do Real” deve-se a inúmeros fatores; sendo o mais óbvio a relação do título com a situação actual que vivemos, mas também pela impossível tarefa de tentar entender o que é o real na Contemporaneidade.
Um livro, uma tese de doutoramento, uma curadoria dentro da curadoria de um Museu, vários textos de artistas e obras que levaram a arte contemporânea à uma descentralização no Museu do Neo-realismo e que fez rever a história, pensar o passado, o presente e o futuro.”

  

 

 

SARA BICHÃO 
Um Poema Por Matthew Zapruder, “April Snow". “Today in El Paso all the planes are asleep on the runway. The world is in a delay. All the political consultants drinking whiskey keep their heads down, lifting them only to look at the beautiful scarred waitress who wears typewriter keys as a necklace. They jingle when she brings them drinks. Outside the giant plate glass windows the planes are completely covered in snow, it piles up on the wings. I feel like a mountain of cell phone chargers. Each of the various faiths of our various fathers keeps us only partly protected. I don’t want to talk on the phone to an angel. At night before I go to sleep I am already dreaming. Of coffee, of ancient generals, of the faces of statues each of which has the eternal expression of one of my feelings. I examine my feelings without feeling anything. I ride my blue bike on the edge of the desert. I am president of this glass of water.”

 

PEDRO VAZ 
“Os frutos da terra” de Knut Hamsun. ‘Os frutos da terra’, é um livro de Knut Hamsun (1859-1952). Gostei muito de o ler por diversos motivos, mas sobretudo pela sua simplicidade e magia. À medida que a estória desdobra, somos levados a imaginar e a pensar no que seria o retorno do Homem a uma vida simples e em comunhão com a Natureza. Acho-o perfeito e atual para os tempos que todos vivemos.” Pedro Vaz 

 

JOANA APARÍCIO
"A Ilha do Dia Antes" de Umberto Eco. Peguei neste livro do Umberto Eco, "A Ilha do Dia Antes", como vou pegando em livros do espólio da família - tal e qual este, normalmente livros de romance e ficção, que sempre me é difícil agarrar. O autor italiano apresenta (realmente relata-o como que na posse da narrativa original) um "naufrágio em segurança" junto à costa de uma ilha inacessível, onde a realidade de um homem se constrói das suas memórias e dos enigmas de um século XVII, de como se cria um mundo no paradoxo e a mestria para saber ser-se só. É uma obra pertinente.


The Island of the Day Before (1994) by Umberto Eco. 

 

 

CRISTINA REGADAS 
"Austerlitz", de W.G. Sebald (2001). O livro foi-me oferecido pela amiga e artista Lauren Moya Ford. A Lauren sublinhou frases no livro que associou ao trabalho que estávamos a desenvolver em paralelo na altura. "Austerlitz" é uma belíssima obra sobre o Tempo e a Memória, um híbrido entre realidade e ficção; uma viagem desde a história pessoal do personagem Jacques Austerlitz até à história da Europa do séc. XX.”


 

Austerlitz by W.G. Sebald (2001).

 

 

THIERRY FERREIRA 
“Arte na Cidade” de Mário Caeiro, “Poesia” de by Daniel Faria E “O poder do Agora” / “The Power of Now” de by Eckhart Tolle. As minhas leituras, neste período de confinamento, têm sido orientadas pela minha doce Carolina de quase três anos. O que me tem fascinado nesta experiência, não são tanto as leituras em si, mas o tempo partilhado e a observação da minha filha como livro vivo. Quando me são permitidos momentos de folga, vou passeando entre arte, poesia e espiritualidade através de leituras cruzadas entre “Arte na Cidade” de Mário Caeiro, “Poesia” de Daniel Faria e “O poder do Agora” de Eckhart Tolle.



SÉRGIO PARREIRA