Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


EXPOSIÇÃO COM MAIS DE 100 OBRAS DA ARTISTA ANA HATHERLY EM LISBOA

2017-11-14




Mais de 100 obras da artista plástica, poeta e realizadora Ana Hatherly (1929-2015) vão estar reunidas numa exposição que inaugura na sexta-feira, às 18:00, na Fundação Carmona e Costa, em Lisboa.

Contactada sobre esta mostra - intitulada "Ana Hatherly: Território Anagramático" - a entidade indicou que reunirá obras em desenho, gravura, vídeo e edição, criadas entre 1970 e 2012.

Resultado de uma colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, que tem patente desde outubro a exposição "Ana Hatherly e o Barroco. Num Jardim Feito de Tinta", dedicada à mesma artista, esta mostra ficará patente na Fundação Carmona e Costa até 13 de janeiro de 2018.

Já a mostra organizada pela Fundação Calouste Gulbenkian, onde estará patente até 15 de janeiro de 2018, inclui pinturas e ensaios da artista e escritora, que se interessou pelas várias dimensões do período histórico do Barroco, e coloca-os em diálogo com a coleção de arte do fundador da instituição.

Apresentada na iniciativa "Conversas" da programação do museu, esta "exposição-ensaio" inclui obras da artista que nunca estiveram patentes ao público, nomeadamente duas composições musicais e diários dos sonhos, com interpretações pedidas aos amigos.

O curador, Paulo Pires do Vale, selecionou um conjunto de desenhos, pinturas, esculturas e textos da artista, e colocou-os em diálogo com peças dos séculos XVII e XVIII, explorando diversos elementos do Barroco, nomeadamente os conceitos de tempo, alegoria, elevação ou labirinto.

Entre as obras de Ana Hatherly expostas ao público pela primeira vez há duas composições musicais criadas pela artista nos anos 1950, quando estudou música na Alemanha - antes de estudar literatura -, seguindo o sonho de se tornar cantora lírica, depois abandonado por razões de saúde.

Os diários dos sonhos, até agora inéditos, em termos de exposição pública, segundo o curador, também estão patentes, cedidos pela Biblioteca Nacional de Portugal, que detém o acervo da artista.

Escultura, pintura, desenho, cinema, performance, vídeo, poesia, ensaio, Ana Hatherly explorou todas estas linguagens artísticas e fez profundas reflexões sobre os seus temas de interesse, criando uma "metalinguagem e metapensamento" próprios.


Fonte: Notícias ao Minuto