Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


ARTEFACTOS DE OURO DE MUSEUS DA CRIMEIA FORAM ENVIADOS PARA KIEV

2023-11-29




As obras, que foram apresentadas em 2014 numa exposição no Museu Allard Pierson de Amsterdão, chegaram ao Museu de Tesouros Históricos da Ucrânia, informou a instituição de Kiev em comunicado na segunda-feira (27 de novembro). A transferência segue-se a uma ordem de Junho do Supremo Tribunal Holandês para enviar as relíquias citas para lá, depois de ter concluído que os itens faziam parte do património nacional da Ucrânia e não pertenciam à Crimeia anexada pela Rússia.

Os museus na Crimeia controlada por Moscovo têm contestado essa reivindicação nos tribunais holandeses há quase uma década, argumentando que qualquer falha na devolução das jóias douradas emprestadas por quatro instituições da Crimeia violava o seu contrato de empréstimo.

O “ouro cita”, como é frequentemente chamado, “pertence à Crimeia e deve estar lá”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry S. Peskov, aos repórteres numa conferência de imprensa na segunda-feira, de acordo com o meio de comunicação russo Interfax.

Os itens incluem um capacete cita de ouro maciço do século IV a.C., adagas cerimoniais, joias citas e sármatas e caixões de laca chinesa, alguns com até 2.000 anos.

Mas o tribunal holandês apoiou a Ucrânia, afirmando que a Crimeia faz parte da sua “integridade territorial” reconhecida internacionalmente, e manteve a decisão de um tribunal inferior de 2021 de entregar a coleção à Ucrânia. “Embora as peças do museu sejam originárias da Crimeia e possam, portanto, também ser consideradas património da Crimeia, fazem parte do património cultural da Ucrânia”, afirmou o tribunal.

O resultado da prolongada batalha legal também é simbolicamente significativo. Nos anos desde que a Rússia invadiu a Crimeia em 2014, a disputa passou a simbolizar as violentas disputas territoriais entre as duas nações – uma questão que obviamente aumentou dramaticamente em 2022, quando a Rússia lançou uma invasão em grande escala da Ucrânia.

Quando a exposição intitulada “Crimeia: Ouro e Segredos do Mar Negro” foi encerrada no Museu Allard Pierson no final de 2014, após a anexação da Crimeia por Moscovo, a instituição não sabia para onde enviar os itens emprestados, por isso levou o caso a tribunal no que se tornou um processo legal que durou uma década.

Os artefactos “não podem ser devolvidos à Crimeia por uma razão óbvia – não podem ser entregues ao ocupante, ao ladrão”, disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, num tweet elogiando a decisão do tribunal em Junho. “É claro que será na Crimeia – quando a bandeira ucraniana estiver na Crimeia”, acrescentou.

Os quatro museus da Crimeia que reivindicam a propriedade legítima incluem a Reserva Histórica e Arqueológica de Kerch, o Museu Central de Taurida, a Reserva Histórica e Cultural Bakhchisarai e a Reserva Nacional Khersones Tavriyskyi.

O Museu de História Nacional da Ucrânia disse que os seus funcionários desempacotaram cuidadosamente 565 das peças contestadas, que chegaram de caminhão após anos de armazenamento, no domingo. “O museu fará todos os esforços para preservar [os artefatos]”, disse Fedir Androschuk, diretor da instituição, em comunicado, acrescentando que “todos aqueles que estiveram por trás da decisão política de devolver a coleção à Ucrânia em guerra” tiveram a especial responsabilidade para “fornecer-lhe uma proteção sem precedentes”.

O museu também reiterou que os itens seriam “guardados até a desocupação da Crimeia”.


Fonte: Artnet News