Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Exercícios de Comunicação Poética com Outros Operadores Estéticos


Ernesto de Sousa
Vários locais/Lisboa, Lisboa

Sarkis


Cláudio Garrudo
Galeria das Salgadeiras (Atalaia), Lisboa

FPM#3 – Da construção ao imaginário


COLECTIVA
Fundação PLMJ, Lisboa

NOVA GENTE


Musa Paradisíaca
Galeria Quadrado Azul (Novo espaço em Lisboa), Lisboa

A NATUREZA EM MOVIMENTO


Alberto Carneiro
Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso, Santo Tirso

ARRÁBIDA BOUND


Miguel Palma, Luís Palma
.insofar art gallery, Lisboa

ARQUEÓLOGAS DO AFECTO


Erica Maluguinto, Hariel Revignet, Kika Carvalho, Mariana Rodrigues, Rosana Paulino
Bruno Múrias,

WE LOVE UGO RONDINONE


São José Correia
Plataforma Revólver, Lisboa

SAUDADES


Paula Rego
Galeria 111, Lisboa

1189 - 2021 : COMMENTARIUM IN APOCALYPSIN


Magda Delgado, Pedro Pascoinho
No.No, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


MARIA CONDADO

O Lago




ESPAÇO AMOREIRAS
Rua D. João V nº 24
1250-091

26 ABR - 31 MAI 2018


INAUGURAÇÃO: 26 de Abril, 18h30



O Lago é a próxima exposição de Maria Condado, composta por apenas uma pintura. Inserida no átrio do Espaço Amoreiras, O Lago é uma pintura que pode ser vista de longe, de perto e junto das suas margens. A proposta de Maria Condado é um convite ao espectador a mergulhar no espaço ilusório e percorrer o gesto que a pintura cristaliza.

O trabalho de Maria Condado centrado no campo da paisagem, mostra a dicotomia entre a natureza e elementos industriais ou arquitetónicos, por vezes pontuada por presenças humanas. Nos últimos anos, a ideia de jardim como construção humana tem sido reincidente na obra desta artista. O lado artificial dos jardins nos espaços da cidade contempla gosto pelo exótico, a ideia de paraíso ou suspensão da rotina e necessidade de ordenação, através da delimitação espacial das espécies, margens e caminhos.

A pintura O Lago revela um espaço de escolhas da artista, que aumenta elementos da composição, selecionando diferentes distâncias de leitura das espécies de plantas, flores e árvores, propondo um percurso dinâmico à volta deste lago imaginado.

A exposição inclui um texto crítico do curador Lourenço Egreja.


:::


Maria Condado nasceu em 1981, e atualmente vive e trabalha em Lisboa. É licenciada em Pintura pela FBAUL, no ano de 2004, e completou em 2015 a Pós-Graduação em Jardins e Paisagem pela FCSH em Lisboa. Das suas exposições individuais destacam-se Do azul faz-se o verde(2017), na Galeria Carolinès, de Lisboa; Trabalho de Campo(2013), no Next Room; Jardim Botânico (2009) e Promised Land (2007), na Galeria Carolina Pagès, em Lisboa. Das exposições colectivas salientam-se Onde é a China? (2014), Museu do Oriente, Lisboa; 16º Programa de Exposições (2014), Carpe Diem Arte e Pesquisa, Lisboa; Pavilhão de Portugal (2009), Hangar-7, Salzburgo, Áustria, e Vestígio (2008), Hospital Júlio de Matos. Em 2017 o seu livro de artista Hortus foi editado pelo Stolen Books.