Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Ficção e Fabricação: Fotografia de Arquitetura Após a Revolução Digital


Coletiva
MAAT, Lisboa

A metade do céu


Coletiva
Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Contraprova - 10 anos de Gravura


Coletiva
Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa

Astray / Anuário - Uma visão retrospetiva da arte no Porto


Caroline Mesquita / Coletiva
Galeria Municipal do Porto, Porto

Ted Joans: Exquisite Corpse


David Hammons
Lumiar Cité - Maumaus, Lisboa

Sob o Signo de Saturno


Pedro Valdez Cardoso
quARTel da Arte Contemporânea de Abrantes, coleção Figueiredo Ribeiro, Abrantes

Arte em Estado de Guerra


Stefano Serafin
Galeria Av. Índia, Lisboa

ESBOÇOS DE TÉCNICAS INTERIORES


STEVE PAXTON
Culturgest, Lisboa

Mafalda Santos & Pedro Casqueiro


Mafalda Santos e Pedro Casqueiro
Galeria Presença (Lisboa), Lisboa

Ideias de Intimidade


Colectiva
NOTE - Galeria de Arquitectura, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


COLECTIVA

Para Além do Zero e do Um




MUTE
Rua Cecílio de Sousa 20 C


17 MAI - 15 JUN 2018


Inauguração: dia 17 de Maio, às 18:30, na MUTE.
Performance: de Tânia da Fonte, às 19:00.

Para Além do Zero e do Um, para além dos dois dígitos que regulam a encriptação binária da informação, o que há? O dois e a diferença que ele representa, uma multiplicidade (de modos de dar a ver, de dar a sentir, de dar a pensar) que resiste à codificação e, portanto, à domesticação. É essa diferença que, entre o desenho, a fotografia, a instalação, a performance e a projecção, é procurada por cinco autores que – na ausência de um programa de trabalho comum – a encontram na figuração conjunta daquilo a que podemos chamar «o mundo do depois»: do depois do humano, do depois do trabalho, do depois de uma linguagem que se quer imune a ambiguidades e a diferentes possibilidades de leitura. Chamam-se Catarina Patrício, Filipe Pinto, Paulo Lisboa, Ricardo Geraldes e Tânia da Fonte. A Galeria Mute acolhe-os (e acolhe-nos) a partir do próximo dia 17 de Maio.

Vasco Baptista Marques


Biografias:

Catarina Patrício vive em Lisboa. Trabalha em desenho o espaço de tensão que se abre pelo corte e montagem de imagens. catarinapatricio.weebly.com/

Filipe Pinto trabalha sobre linguagem e quotidiano; vive em Lisboa. www.filipepinto.weebly.com

Paulo Lisboa nasceu, vive e trabalha em Lisboa. Embora recorra a vários media, o seu trabalho apresenta-se frequentemente na forma de desenho ou projecções, onde aborda problemáticas relacionadas com a natureza da luz e a percepção da matéria. http://cargocollective.com/paulolisboa

Ricardo M. Geraldes recorre à fotografia para enquadrar um mundo pré-humano (que ainda existe) e um mundo pós-humano (a fazer-se). Nasceu em Lisboa, e por aí reside. ricardomgeraldes.weebly.com/

Tânia da Fonte vive em Lisboa. Trabalha sobre o terreno e a norma. Cada projecto resulta da sucessão de episódios e da adição de diferentes formas (performance, desenho, texto, vídeo, escultura).