Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Flutuações


Virgílio Ferreira
Mupi Gallery, Porto

O Pirgo de Chaves


Francisco Tropa
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Ângela Ferreira


Dalaba: Sol d’Exil
Chiado 8 Arte Contemporânea, Lisboa

Once in a lifetime [repeat]


João Onofre
Culturgest, Lisboa

Fermata


João Ferro Martins
CAPC - Círculo de Artes Plásticas, Coimbra

Play Is A Serious Matter


Eduarda Rosa, Pollyanna Freire e Rita Thomaz
Fundação Portuguesa das Comunicações,

João Drei


Gijs Milius e Sophie Nys
In Spite Of, Porto

FUNÂMBULO


DANIEL FERNANDES
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

Moi je suis la langue et vous êtes les dents


Yto Barrada
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Murro no Estômago


Colectiva
Galeria Boavista, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


INÊS TELES

Pairar adentro




ACERVO - ARTE CONTEMPORÂNEA
R. Machadinho 1, 1200 Lisboa


11 OUT - 21 DEZ 2018


Inauguração: 11 de Outubro, às 19h, na Galeria Acervo


„(…) Inês Teles compreende que nada é absolutamente estável, sólido, mas que tudo é efémero e, até certo ponto, líquido, aplicando essa ideia na relação que estabelece com as disciplinas e técnicas através das quais se exprime. No caso da pintura, uma das áreas à qual se sente particularmente próxima, a artista entende que essa expressão, primária e tradicional, pode existir em diversos estados, independente de qualquer suporte. É, pois, ultrapassando as barreiras que determinam essa prática, que liberta a mesma de qualquer limite, permitindo-a ser ampla, heterogénea, plural e assumir diferentes faces, ser bidimensional e tridimensional, representativa e abstrata ou, ainda, existir puramente na forma de prova cromática. (…)

Ao papel, ao tecido, à resina cristal, ao verniz, à cor, à pintura pulverizada e aos imprescindíveis pigmentos, o movimento das mãos da artista adapta-se, o ritmo acompanha os gestos e daí irrompem estas criações que, devido a tal naturalidade e clareza construtiva, bem como a uma tatilidade que lhe é tão pessoal, revelam-se abstratas, singulares e irrepetíveis. Indiscutivelmente, tratam-se de obras femininas, sem serem, por isso, redutíveis a uma dicotomia de género, na medida em que este trabalho é, com efeito, múltiplo, transversal e intemporal. A obra funciona, precisamente, num admirável equilíbrio entre extrema sensibilidade e igual transparência sustentadas por uma inteligível assertividade, racionalidade e estudo. (…)“. (Constança Babo)

_

INÊS TELES (Évora, 1986). Licenciatura em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (2008). Pós-graduação em Artes Plásticas pela Byam School of Art, CSM, Londres (2011). Mestre em Pintura pela Slade School of Fine Art, UCL (2013). Membro do colectivo artístico Tempos de Vista, Inês Teles expõe regularmente em Portugal, Londres e Paris. Colabora frequentemente com instituições sem vocação artística para a criação de plataformas artísticas inesperadas, tal como residências e exposições colectivas.