Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

FRIDAY 13TH


Coletiva
Movart, Lisboa

Walk the curve


Ayelen Peressini e Inês Teles
Alto de S. Bento,

No Chão do Paraíso


ALBUQUERQUE MENDES
Auditório Municipal de Gondomar, Gondomar

Estancias de la pintura. Calavera resumida


Pedro Morales Elipe
Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Lisboa

Tchiloli Family


RENÉ TAVARES
ELA - Espaço Luanda Arte, Luanda

Topografias Rurais


Alberto Carneiro, Ana Lupas, Lala Meredith-Vula e Claire de Santa Coloma
Vários locais/Lisboa, Lisboa

A Imagem da Palavra


EUGÈNE GREEN
Casa do Cinema Manoel de Oliveira, Porto

O vazio da minha alma


MARA CASTILHO
Livraria Sá da Costa, Lisboa

Prémio Sonae


Coletiva
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

O Ponto Perfeito


Maria Pia Oliveira
Fundação Portuguesa das Comunicações,

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


JÚLIO POMAR E HUGO CANOILAS

Antes do Início e Depois do Fim




ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR
Rua do Vale, nº7
1200-472 LISBOA

08 NOV - 01 MAR 2020


Inauguração: 8 de Novembro, às 18h, no Atelier-Museu Júlio Pomar

A exposição "Antes do Início e Depois do Fim: Júlio Pomar e Hugo Canoilas", com curadoria de Sara Antónia Matos, dá seguimento a um programa de exposições do Atelier-Museu que, todos os anos, procura cruzar a obra de Júlio Pomar com a de outros artistas, de modo a estabelecer novas relações entre a obra do pintor e a contemporaneidade. Deste modo, esta exposição é pensada, desde a sua génese, como uma intervenção específica no espaço do Atelier-Museu. Ao longo dos vários meses, a exposição sofrerá, ciclicamente, algumas metamorfoses/ transformações.

Numa abordagem ficcional que procura pensar sobre o que já estava antes do início do mundo (humanidade) e o que ficará depois do fim do mundo (humanidade), problematizando a relação da arte com a ideia de extinção, biodiversidade e de coexistência planetária, a exposição mostra por um lado a enorme diversidade de animais que Júlio Pomar representou ao longo de mais de 70 anos na sua obra, em diferentes técnicas e suportes. Combinando arte, investigação e documentação, o trabalho de Júlio Pomar é enformado por um património crítico que lhe permite abordar a natureza descontraidamente, sem pretensões de apresentar um conhecimento moldado pelos pressupostos da ciência. Natureza, olhar científico e olhar artístico conjugam-se num discurso que ultrapassa as determinações disciplinares e garantem um resultado final revelável em diferentes camadas de informação.
Por outro lado, e em diálogo com a obra de Júlio Pomar, de Hugo Canoilas mostra-se um extenso corpo de trabalho que o artista tem desenvolvido nos últimos anos em torno de uma figuração por vezes pré-histórica ou pré-apocalíptica, e por vezes pós-apocalíptica, numa espectacular tentativa crítica de pensar sobre a sociedade, sobre a relação com a arte e com a natureza através da arte.

O que implica a criação? E a percepção? Qual é a verdade da natureza? Quais são as origens do fazer artístico? No diálogo “O Declínio da Mentira”, Oscar Wilde sublinhava que “quanto mais estudamos a Arte, menos nos interessamos pela Natureza. O que a Arte realmente nos revela é a ausência de ordem na Natureza, as suas cruezas bizarras, a sua extraordinária monotonia, o seu estado irreparavelmente inacabado. (...) Quando olho para uma paisagem, não consigo deixar de ver todos os seus defeitos. E, no entanto, é uma sorte para nós que a Natureza seja tão imperfeita, pois, de outro modo, não teríamos tido arte absolutamente nenhuma” (in Intenções. Quatro ensaios sobre estética).

No decurso da exposição publicar-se-á um catálogo [com edição do Atelier-Museu Júlio Pomar/ Documenta] e imagens das obras instaladas no espaço, e livro com uma entrevista com Hugo Canoilas, realizada ao longo de um extenso período, permitindo compreender, através da voz deste autor, as motivações e fundamentos inerentes às suas obras. O livro com a entrevista realizada a Hugo Canoilas e o catálogo será lançado durante o decorrer da exposição, em data a anunciar.