Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

O dia em que perdi o pé


Anabela Soares
Museu Bordalo Pinheiro, Lisboa

Obras Inéditas


Julian Opie
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Dry


Pedro Valdez Cardoso
A Montanha, Lisboa

Suppose it is true after all, what then?


Vasco Araújo
Galeria Presença (Porto), Porto

Ar.Co - Exposição Bolseiros & Finalistas ’19


COLECTIVA
Museu da Cidade - Pavilhão Preto, Lisboa

Dordio Zinco


Gonçalo Pena
Centro Interpretativo do Tapete de Arraiolos (CITA), Arraiolos

O estranho substituto


Jorge Molder
Galeria Pedro Oliveira, Porto

Mare Aethiopicum


PAULO QUINTAS
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

Desvio


Sofia Arez
Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Lisboa

A Tempestade


Francisco Vidal
Central Gerador, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ANTÓNIO OLAIO

Desterrado




GALERIA ALA DA FRENTE
Palacete Barão da Trovisqueira\r\nRua Adriano Pinto Basto, nº 79


08 FEV - 22 MAI 2020


Inauguração dia 8 de Fevereiro, 18h, na Galeria Ala da Frente, Famalicão


DESTERRADO, António Olaio


"Depois de ter apresentado “Desterrado” na Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra, em 2019, António Olaio prepara-se agora para mostrar ao público famalicense esta instalação artística que junta, no mesmo espaço, pintura, vídeo e desenho.

Esta instalação dá continuidade ao trabalho desenvolvido por António Olaio numa reflexão que iniciou em 2017 e que o levou a estabelecer uma relação com a escultura “Desterrado” do Museu Soares dos Reis, no Porto.

Para o curador da Ala da Frente, António Gonçalves, a exploração de várias “linguagens e territórios criativos” nesta exposição reflecte a abrangência do trabalho de António Olaio.

“Nesta exposição temos a presença da pintura, do vídeo e do desenho, num possível equilíbrio que nos levará a questionar o espaço e a nossa presença nele, assim como a nossa relação com o entendimento da arte”, explica a propósito.

“Expor num mesmo espaço diferentes suportes e linguagens é levar o observador a ajustar-se e a encontrar soluções de potencial equilíbrio, em resposta à instigação de desassossego que António Olaio lança. Uma provocação que oscila entre linhas ténues e linhas de força bem expressa, que nos transferem uma unicidade ao trabalho desenvolvido por Olaio”, acrescenta.

António Olaio nasceu em 1963, em Sá da Bandeira, Angola, e vive em Coimbra.
Com formação em Pintura, é professor no Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (UC), tendo apresentado, em 2000, dissertação de Doutoramento, construída a partir da obra de Marcel Duchamp. É director do Colégio das Artes e investigador do Centro de Estudos Sociais da UC. As suas performances levaram-no à música, tendo sido fundador do grupo Repórter Estrábico em 1986."


Fonte: descla.pt