Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Paulo Nozolino, sem título, da série "bone lonely"

Outras recomendações:

O céu recuou dez metros


João Jacinto
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

Meeting With a Double Agent


Beatriz Olabarrieta
Syntax, Lisboa

(podemos sempre fugir de carro)


Luísa Jacinto
Fundação Portuguesa das Comunicações,

What We Feel Like


Rita Matos
FOCO, Lisboa

wanderings


Coletiva
Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa

Saga


Pedro Barateiro
Galeria Filomena Soares, Lisboa

Fifty-Fifty (50|50)


Noé Sendas Rui Calçada Bastos
Galeria Miguel Nabinho, Lisboa

O Gosto solitário de Gravar


Ana Galvão
Galeria Quadrum, Lisboa

História da Vida Privada


Pedro Valdez Cardoso
Galeria 111, Lisboa

A New perspective on Alexander M collection


Rui Macedo
Galeria Municipal Vieira da Silva, Loures

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 

share |

PAULO NOZOLINO

bone lonely




GALERIA QUADRADO AZUL (ANTIGO ESPAÇO EM LISBOA)
Largo dos Stephens, 4
1200-457 LISBOA

09 JAN - 21 FEV 2009


Inauguração: 9 de Janeiro de 2009


PRESS RELEASE

Primeira exposição ondividual de Paulo Nozolino desde 2001, em Lisboa, na Galeria Quadrado Azul.

“bone lonely” é o título da exposição que PAULO NOZOLINO mostra na Galeria Quadrado Azul, em Lisboa, a partir de 9 de Janeiro até 21 de Fevereiro 2009, e de um livro a publicar pela editora alemã Steidl. Esta exposição estará igualmente presente em Julho de 2009 nos 40 anos dos Rencontres d’Arles, França.


Paulo Nozolino , 53 anos, nasceu em Lisboa. Com base em Londres, entre 1975-78, estudou fotografia e começou uma longa série de viagens pela Europa, América e Ásia. Viveu em Paris durante a década de 90. Bolseiro da Villa Médicis em 1994-5, publica “PENUMBRA” (Scalo 1996), resultado de doze anos de viagens pelo mundo árabe, com exposição em Lisboa no CCB. Recebe o Grand Prix de la Photographie, Vevey, Suiça em 1995 para trabalhar no projecto “SOLO”, uma incursão solitária sobre o estado da Europa, de Auschwitz a Sarajevo, premiado com o Oskar Barnack Award, Arles 1998. Em 1999 trabalha com Robert Frank no filme “San Yu” em Paris e parte em seguida para Macau onde concebe “FIM”, que expõe na Culturgest, Lisboa, 2001. A Maison Européenne de la Photographie, Paris, dedica-lhe uma exposição em 2001 intitulada “NADA”. Uma grande exposição antológica é feita pelo Museu de Arte Contemporânea de Serralves, no Porto e o livro “FAR CRY”, publicado pela Steidl em 2005, recebe o Deutscher Fotobuchpreis, Stuttgart no mesmo ano. Aceita o Prémio Nacional de Fotografia em 2006, pelo conjunto da sua obra. Vive e trabalha entre Lisboa e Paris.