Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA



Outras recomendações:

WIND DREAMS


Joana Escoval
Galeria Vera Cortês, Lisboa

CAIU


Corpo Atelier, Fala Atelier e Nuno M. Sousa
GAMA RAMA Gallery, Faro

O Nu e a Madeira


Daniel Dewar & Grégory Gicquel
Culturgest, Lisboa

Lisboa Clichê


Daniel Blaufuks
Museu de Lisboa - Palácio Pimenta, Lisboa

Estar em P


Sara Chang Yan
Madragoa, Lisboa

Um Mês Acordado


Alexandre Estrela
ZDB - Galeria Zé dos Bois, Lisboa

LUVAS BRANCAS


Pedro Valdez Cardoso
Galeria Fernando Santos (Porto), Porto

O único espectáculo é o da espera


Tiago Baptista
3 + 1 Arte Contemporânea, Lisboa

PEQUENOS FOGOS


José Leonilson / Tomás Cunha Ferreira
Brotéria, Lisboa

A GUERRA GUARDADA


Maria José Lobo Antunes / Inês Ponte
Museu do Aljube, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


MAGDA DELGADO, PEDRO PASCOINHO

1189 - 2021 : COMMENTARIUM IN APOCALYPSIN




NO.NO
Rua de Santo António à Estrela 39A
1350-291 LISBOA

11 NOV - 15 JAN 2022


Inauguração: 11 de novembro 2021, 18h - 10h



"Quer seja olhado de forma profética ou simbólica, de forma alucinatória ou terapêutica, o Apocalipse e as grandes revelações encontram-se em linha com os nossos tempos. Dizem-nos respeito na nossa actualidade e é aqui que residem a força e a relevância deste encontro entre os desenhos negros de Pascoinho no papel e a tinta acrílica colorida sobre tela de linho cru de Delgado. Fundindo-se com a peça musical imersiva que co-criaram, as complementaridades e oposições visuais dinâmicas em jogo são enfatizadas pelos sons e tonalidades sucessivamente sombrios e luminosos. A teia de padrões geométricos, proporções matemáticas e planos cromáticos vibrantes traz abertura e expansão às associações Warburgianas de símbolos, fragmentos e impressões mnemónicas. A justaposição contrastada de motivos figurativos escuros e melancólicos com pinturas abstractas luminescentes onde dominam as cores primárias emprega uma espécie de Axis Mundi que liga o céu e a terra, os domínios subterrâneos e celestiais, as contingências e necessidades, tormentos e aspirações, a génese e o fim dos tempos."

Katherine Sirois (Commentarium in Apocalypsin, excerto)