Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

38.711901 -9.150882 atlas da terra depois do fim mapa #2B


Ana Leonor Madeira Rodrigues
Galeria Monumental, Lisboa

Synecdoche


HElena Valsecchi
Galeria Sá da Costa, Lisboa

Hápax


Mattia Denisse
Culturgest, Lisboa

Do Jardim Tropical ao Carvão Vegetal: O Desenho na Linha das Metamorfoses II


Christine Enrègle
Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa

O Fenómeno


COLECTIVA
Galeria do Sol / Rua do Sol, Porto

Navio de Espelhos


Colectivo BorderLovers
Casa da Liberdade – Mário Cesariny, Lisboa

MATÉRIA-AFECTO


COLECTIVA
No.No, Lisboa

INTERIOR FORA DE SI


COLECTIVA
Galeria Pedro Oliveira, Porto

Vento Espesso


Maria Capelo
Casa Museu Guerra Junqueiro, Porto

Tenho de continuar, não posso continuar, vou continuar


COLECTIVA
Plataforma Revólver, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ABRAÃO VICENTE

No Limiar




ESPAÇO FÁBULAS
Calçada Nova de São Francisco, 14


25 JUL - 30 AGO 2009


Inauguração: 25 de Julho, 22h


PRESS RELEASE

O segundo convidado do projecto Tráfico traz-nos uma abordagem sobre questões
que envolvem identidade, fronteiras, viagens e território.
Usando técnica mista, Abraão Vicente (Assomada, 1980) faz referência a esses
conceitos lembrando-nos de um momento em que um viajante altera a sua
condição tornando-se um simples número num papel.

O Passaporte, documento emitido por uma nação e que nos identifica junto dela
traz à memória uma pertença geográfica e cultural carregada de uma herança
histórica, que nos separa do espaço para lá da fronteira.

“No Limiar” mostra o confronto existêncial interior – um espaço mental que roça o limite
da esquizofrenia. A fragmentação de todo um ser, que ainda assim é confrontado com
a sua própria existência.
O resultado são novos documentos, onde as várias identidades se confrontam e
exprimem a sua revolta – através de texto na língua do viajante ou numa exorcização do corpo,
também ele fragmentado.

Alheio à “máquina burocrática” que o valida ou invalida, o viajante, sem o saber,
despoleta vários eventos que o vão buscar, enquanto número, a um espaço global, ao
qual ambiciona existir.

Até 30 de Agosto, no Espaço Fábulas.


Projecto Tráfico
Espaço Fábulas
Calçada Nova de S. Francisco, 14
www.traficolx.net