Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Pedro Vaz, Entre a Montanha e o Vale, 2011. Acrílico s/ papel, 161 x 113 cm.

Outras recomendações:

Espelho


Isabel Madureira Andrade
Galeria Fonseca Macedo, Ponta Delgada

Imago Lisboa Photo Festival


Joakim Eskildsen
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Mais tarde


JORGE MOLDER
Galeria Belo-Galsterer, Lisboa

Perto da margem


Pedro Calapez
Museu Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Bom dia lua


Nuno Sousa Vieira
Museu Municipal Amadeo de Souza Cardoso, Amarante

Ciclo “Museu das Obsessões”


TATIANA MACEDO / HORÁCIO FRUTUOSO
CAV - Centro de Artes Visuais, Coimbra

Uma Figura Semelhante


Diogo Costa
Diogo Costa Atelier, Almada

Sombras do Tempo


MÁRIO MACILAU
Galeria MOVART, Lisboa

Lanhaslândia (Expandida)


Fernando Lanhas
Galeria Quadrado Azul (Novo espaço em Lisboa), Lisboa

Polaris


Francisco Tropa
Galeria da Casa A. Molder, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


PEDRO VAZ

Entre a Montanha e o Vale




MÓDULO – CENTRO DIFUSOR DE ARTE (LISBOA)
Calçada dos Mestres, 34 A/B
1070-178 LISBOA

12 FEV - 09 MAR 2011


INAUGURAÇÃO:
12 de Fevereiro de 2011, 18h–20h



PRESS RELEASE

Pedro Vaz é pintor, pensa enquanto pintor, cria momentos pictóricos, percorrendo e construindo mundos de cor, mancha, sem horizontes definidos, paisagens observadas e desejadas, lugares que participam do domínio do encantamento, entre a realidade e o sonho.

As obras de Pedro Vaz – pintura sobre madeira, aguarelas, vídeo e instalações – combinam diferentes elementos da natureza segmentados, percursos, caminhos, que dividem campos cromáticos mais ou menos intensos, quase sempre verdes, envolvidos e diluídos pela constante bruma da imaginação.

Desde 2005 que o autor se serve da “paisagem” (Natureza primitiva, espaço virgem) como referência na sua obra. Da paisagem faz "multimodais retratos", recorrendo à pintura, desenho, vídeo, instalação e ainda escultura, que medeiam a sua obra.

A exposição “Entre a Montanha e o Vale", é a terceira exposição individual do autor no Módulo - Centro Difusor de Arte, que nos propõe que se observem atentamente e somente pinturas, na sua generalidade monotonais, figuradas entre a pintura e o desenho, conduta esta de carácter gestual. Pinturas que se situam no limbo de um estado de definição, entre a abstracção e a figuração, criando a ilusão entre espaço (lugar) e a superfície (suporte).

O conjunto apresentado de obras é composto por grandes e pequenos formatos, tanto em papel como em madeira.

Pedro Vaz (Maputo, 1977), iniciou a seu percurso artístico no Módulo – Centro Difusor de Arte em 2005. Licenciado em Artes Plásticas / Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa em 2006.
Expôs individualmente em 2010, Em Passo, na Kubikgallery, no Porto e Quarenta passos, no Centro de Arte de Cultura em Ponte-de Sôr. Em 2009, Expanded Nature, Voyeur Project View, em Lisboa e em 2007, Forma e Lugar, Modulo, Centro Difusor de Arte, em Lisboa.