Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:


1 000 056.ª Aniversário da Arte
CAPC - Círculo de Artes Plásticas, Coimbra


Visita orientada | Paula Rego: Anos 80
Casa das Histórias Paula Rego, Cascais

COMER O CORAÇÃO EM CENA


Vera Mantero e Rui Chafes
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

The 1960s in Iraque: Art and Culture


NADA SHABOUT
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

MANOEL DE OLIVEIRA INTEGRAL – O VISÍVEL E O INVISÍVEL (II)


João Botelho, João Mário Grilo, Rita Azevedo Gomes
Cinemateca, Lisboa

Vaivém


Bruno Pacheco e Bruno Marchand
Galeria Quadrum, Lisboa

Ciclo de cinema


Manoel de Oliveira Integral – O Visível e o Invisível
Cinemateca, Lisboa

19ª sessão do Ciclo Colecionar Arte


Pedro Alvares Ribeiro+José Pedro Croft
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Ciclo de encontros, conversas e performances


Questões práticas: desaprender continuamente
Centro de Memória de Vila do Conde, Vila do Conde

LUZAZUL


Masterclass com Miguel Soares
FBAUP - Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


HE CHOSE IT, FONTE 1917

Visita temática




MUSEU COLEÇÃO BERARDO
Praça do Império
1499-003 LISBOA

07 ABR - 07 ABR 2018


Visita Temática: Sábado, 7 de abril, 17h30.
Entrada gratuita, com inscrição prévia.


A obra Fonte, 1917, que agora se apresenta pela primeira vez em Portugal, é um dos readymades mais conhecidos do artista Marcel Duchamp e um dos marcos mais revolucionários e influentes de toda a história da arte universal. Ao girar um urinol a 90º, apresentando-o como obra de arte, Duchamp inverteu também a própria ideia de arte, bem como as convenções tradicionais que a sustentavam, inaugurando um novo paradigma artístico, totalmente incompreendido à época. No curso desta visita, vamos conhecer a escala desta rutura maior, analisando as suas implicações nos planos artístico e estético, não esquecendo o humor que a reveste.

Esta visita será realizada no dia 7 de abril, às 17h30, por Sofia Nunes, crítica de arte e doutoranda em História e Teoria da Arte na FCSH / Universidade Nova de Lisboa e na Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne. A participação é gratuita, mas é necessária inscrição prévia.