Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Lançamento on-line de Mare Aethiopicum


Paulo Quintas
PLATAFORMAS ONLINE,

The Heretics


Joan Braderman
Cinema São Jorge, Lisboa

Sobre a nudez crua da verdade, o manto diáfano da fantasia


Doug Hall, Bill Viola, Akram Zaatari
MAAT, Lisboa

DRIFITING BODIES/ FLUENT SPACES


Encontro / Conferência
Vários locais / Guimarães, Guimarães

O vento do pensamento..., por Stefania Fantauzzi


Ciclo Imagens de Pensamento
Casa das Artes (Porto), Porto

Today, I am just a Butterfly...


Patrícia Almeida
Centro Cultural Vila Flor, Guimarães

Constelações III: uma coreografia de gestos mínimos


Curadoria: Ana Rito e Hugo Barata
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Under the Ground


ciclo de filmes de artistas e cinema experimental
Galeria Quadrum, Lisboa

Primeira lição de voo + O melhor mundo possível


Gustavo Sumpta
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Formula for Fantasy


Dasha Birukova
Galeria Quadrum, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


RICARDO JACINTO

Violoncelo Explodido: Fragmentação e Dispersão como estratégias para uma prática de improvisação site-specific




MUSEU COLEÇÃO BERARDO
Praça do Império
1499-003 LISBOA

17 JUN - 17 JUN 2020


Conferência: Quarta-feira, 17 junho, às 17h, no Auditório do Museu. Entrada gratuita


Violoncelo Explodido: Fragmentação e Dispersão como estratégias para uma prática de improvisação site-specific
Conferência por Ricardo Jacinto


A música é uma prática temporal cujas raízes podem ser eminentemente espaciais. Esta tese enunciou um modelo conceptual e as manifestações práticas de um projeto de pesquisa no contexto da improvisação musical a solo, com base numa relação particular entre improvisação livre e práticas artísticas site-specific. As atividades de Ricardo Jacinto como violoncelista e artista sonoro com formação académica em arquitetura e escultura foram articuladas neste contexto para pensar a improvisação a solo através de um formato de apresentação híbrido, entre instalação e concerto, num tempo e espaço específicos.

Ricardo Jacinto é músico, artista plástico e arquiteto com pesquisa artística e académica focada na relação entre som e território em práticas transdisciplinares. É membro fundador e co-diretor artístico do colectivo OSSO, e é doutorado pelo Sonic Arts Research Center, Queens University Belfast. Desde 1998 tem apresentado o seu trabalho em exposições individuais e coletivas, concertos e performances em Portugal e na Europa, e tem colaborado extensivamente com outros artistas, músicos, arquitetos e performers. A sua música foi editada pela Clean Feed, Shhpuma Records e Creative Sources. É representado pela Galeria Bruno Múrias, e as suas instalações estão presentes em várias coleções nacionais. Foi co-representante de Portugal na 10.ª Bienal de Arquitetura de Veneza de 2006, e o seu trabalho foi apresentado em diferentes locais.


:::

Apresentada no âmbito do X Ciclo de Conferências Internacionais intitulado «Destacam-se os sons da noite funda», organizado pela Escola de Comunicação, Artes e Tecnologias de Informação da Universidade Lusófona, em conjunto com o Museu Coleção Berardo.