Links

ENTREVISTA



MEIKE HARTELUST


Meike Hartelust é directora geral da Tom Postma Design, uma empresa sediada em Amesterdão que se especializou em desenhar os interiores de instituições culturais, feiras de arte, eventos e exposições. Em conversa com Sérgio Parreira, Meike Hartelust traça não só o percurso desta empresa, fundada em 1998 por Tom Postma, mas também reflecte sobre algumas das delicadas questões que se balançam nestes ambientes: a necessidade de optimização do espaço e promoção do carácter comercial, versus o desejo de melhorar a experiência do visitante e responder à sua “sensibilidade estética”.
LER MAIS

O ESTADO DA ARTE



JULIA FLAMINGO


SP-ARTE/2018 E A DIFÍCIL TAREFA DE ESCOLHER O QUE VER
Para alguns visitantes, uma feira é um local de boas aquisições; para outros, uma chance de ver uma reunião tão grande de obras que nem mesmo um museu dá conta. E para a grande maioria, um lugar intenso, com uma quantidade excessiva de estímulos visuais e sonoros, que comprime em alguns dias uma agenda atribulada e sofisticada, num convívio diário com protagonistas do cenário das artes visuais. Na 14a edição da SP-Arte, a experiência não foi diferente.
LER MAIS

PERSPETIVA ATUAL

MARIA VLACHOU


HAVERÁ DEMOCRACIA POLÍTICA SEM DEMOCRACIA CULTURAL? O LUGAR DAS “PERIFERIAS” EM PORTUGAL
Acontecimentos políticos em vários países do mundo nos fazem questionar a qualidade das nossas democracias. Levam-nos inclusive a questionar a função da cultura na sociedade. Seu papel na formação de cidadãos informados, críticos, engajados e na criação de uma sociedade mais tolerante e capaz de voltar a mostrar empatia. Com a evolução do conceito da democratização do acesso à cultura para o da criação de uma democracia cultural, é também tempo de olhar para o trabalho desenvolvido fora dos grandes centros urbanos.
LER MAIS


OPINIÃO

JOANA CONSIGLIERI


EXPANSÃO DA ARTE POR LISBOA, DUAS VISÕES DE FEIRAS DE ARTE: ARCOLISBOA E JUSTLX - FEIRAS INTERNACIONAIS DE ARTE CONTEMPORÂNEA
O dinamismo da arte em Lisboa tem vindo a intensificar-se nestes últimos anos. No mês de maio, surgiram, em simultâneo, duas feiras de arte, ARCOlisboa e JustLX, que trouxeram novas possibilidades de experiências estéticas e uma expansão de atividades e estímulos sensitivos na representação de artistas, obras de arte, conversas e visitas, a par de uma intenção de difundir os mercados em Portugal.
LER MAIS

ARQUITETURA E DESIGN

REDAÇÃO DA REVISTA NU


NU LIMITE
Partimos da arquitectura, na qual os limites se revelam primariamente no espaço e lhe atribuem forma. Normalmente podem ser condicionantes para o projeto, mas são, do mesmo modo, a única base para o fazer; sem eles a arquitectura caíria num vazio experimental onde essa total liberdade acabaria por impedir o processo de criação. Todo o projeto surge de algo - um programa, um local ou um conceito –, e esse algo, por mais variável que possa ser, terá sempre o seu caráter limitador.
LER MAIS

MÚSICA

RICARDO ESCARDUÇA


SUUNS – “FELT”
Felt não cai na armadilha da banalidade massificada e indistinta. Da acessibilidade e convencionalidade onde não cabe o traço da personalidade e individualidade. Felt é uma evolução sem trajectória ou destino pré-determinados numa constante postura experimental onde a inércia do processo criativo não tem lugar.
LER MAIS

BLOGSITE EM RESIDÊNCIA

"PINOCCHIO È MALATO", PEDRO CABRAL SANTO







:: AR - 4° Festival de Cinema Argentino | 21 a 24 de Junho de 2018, Cinemateca Portuguesa e Cinema São Jorge



EXPOSIÇÕES ATUAIS

THIAGO MARTINS DE MELO

BÁRBARA BALACLAVA


Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural, Porto

O caráter visceral patente no trabalho de Thiago Martins contrapõe-se com a beleza cromática já habitual e esperada em tudo o que o próprio produz. É assim que o filme de animação bárbara balaclava se apresenta entre uma violência figurativa e uma, também intensa, trilha sonora.
LER MAIS CONSTANÇA BABO

COLECTIVA

LUGARES DO DELÍRIO


Sesc Pompeia, São Paulo
Estandartes e objetos criados por Arthur Bispo do Rosário são apresentados lado a lado com obras do consagrado Cildo Meireles ou de Leonilson, também conhecido por seus bordados. A mostra reúne 53 artistas e coletivos que vêm do circuito tradicional da arte, de instituições psiquiátricas ou trabalham na intersecção entre arte e terapia.
LER MAIS JULIA FLAMINGO

ÂNGELA FERREIRA E FERNANDO JOSÉ PEREIRA

CONTRATO (A TEMPO INDETERMINADO)


Museu Internacional de Escultura Contemporânea, Santo Tirso
Diz-nos a folha de sala da exposição que o Tempo parece hoje querer fugir-nos das mãos. De facto, a aparente necessidade de tentarmos viver ao máximo aproveitando cada segundo, procurando registar todos os sítios e momentos onde estamos através da fotografia e do vídeo, é como uma espécie de batalha inglória a favor da memória, que parece impedir-nos de viver e de sentir verdadeiramente os diferentes acontecimentos que insistem em interromper o nosso quotidiano.
LER MAIS LUÍS RIBEIRO

DAVID HOCKNEY

SOMETHING NEW IN PAINTING (AND PHOTOGRAPHY) [AND EVEN PRINTING]


Pace Gallery - 25th Street NY, Nova Iorque
Pode revelar-se complicada, a análise de uma única obra de um artista, quando este apresenta uma carreira de cerca sessenta anos de criação, repleta de notáveis conquistas em termos inovação e técnica. No entanto, este exercício pode tornar-se exequível, se o artista em questão executa uma obra na qual congrega todas as fórmulas numa única equação, originando como suma um complexo produto de rara genialidade.
LER MAIS SÉRGIO PARREIRA

YONAMINE

N’GOLA CINE


JAHMEK CONTEMPORARY ART, Luanda
Na exposição na galeria Jahmek Contemporary Art, o cine N`gola é uma metáfora sarcástica que o artista Yonamine nos propõe, para analisar, com senso comum e olhar emancipado, a história mais recente de Angola. A instigação tem o fôlego e a acutilância a que já nos acostumou.
LER MAIS ADRIANO MIXINGE

SARA BICHÃO

ENCONTRA-ME, MATO-TE


Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa
Quando entramos na sala silenciosa da exposição, o primeiro espanto é o da escuridão. Já familiarizado com a obra de Sara Bichão e tendo visto a sua recente exposição, esperamos ver um white cube, esculturas claras e formais, frias e abstratas, nem figurativas, nem carregadas de afeto, sem grande encenação.
LER MAIS MARC LENOT

VASCO ARAÚJO

LA MORTE DEL DESIDERIO


Galeria Francisco Fino, Lisboa
A tradução para português não deixa dúvidas: é da morte do desejo e, em última instância, da nossa própria morte que aqui se trata. A folha de sala, em registo epistolar, lança o mote: Seremos outra coisa a não ser a projeção de um desejo?
LER MAIS WILSON LEDO