Links


NOTÍCIAS ARTECAPITAL


:: EXPOSIÇÃO ALTO NÍVEL BAIXO | 8 NOV 2019 - 11 JAN 2020, ZDB

Liz Vahia

2019-11-29



 

 

 

Alto Nível Baixo

Curadoria: Natxo Checa e Marta Mestre

 

A exposição “Alto Nível Baixo” inaugurou no dia 8 de Novembro na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa, e mostra dois núcleos de obras: uma seleção de 29 filmes e vídeos de artistas e cineastas brasileiros realizados entre 1968 e 1978; e uma série de 19 “Desenhos de Guerra” do artista português Manoel Barbosa (n. 1953), realizados durante a sua participação na guerra colonial entre 1973-75.

Quem percorre as salas da Galeria Zé dos Bois pode ver que os dois núcleos expositivos habitam conjuntamente o mesmo espaço. Segundo Natxo Checa e Marta Mestre, curadores da exposição, o objectivo é juntar dois núcleos aparentemente distintos e conseguir um olhar diferente, criando uma dinâmica que se toca sem se ligar directamente. São dois conjuntos de obras que poderiam comunicar entre si, pois ambas se relacionam com conceitos de emancipação e liberdade.

 

 

O núcleo audiovisual, intitulado “Cinema de invenção, Brasil (1968-78)”, mostra diversas obras de cinema experimental, assumidamente precário e fora do cânone, criadas como resposta de um “terceiro mundo” à produção europeia. A curadora responsável pelo núcleo, Marta Mestre, aponta o carácter cíclico da urgência destas obras, uma vez que o momento presente no Brasil se aproxima a esse período duro da ditadura militar brasileira. Esses/Estes tempos fazem com que “os artistas tenham respostas altas a tempos baixos”. Os artistas aqui apresentados vêm de diversas partes do país e alinhavam-se com o combate à ditadura. Através do acesso a meios de produção lançavam a ideia de precaridade como uma bandeira, um cinema experimental que respondia igualmente ao Cinema Novo com uma “estética de terceiro mundo”.

 

 

Já o núcleo das obras de Manuel Barbosa, artista mais conhecido pela sua ligação posterior à performance e a grupos como os Telectu, junta contra-cultura e guerra colonial. Natxo Checa, responsável pela selecção dos desenhos apresentados (19 num total de 70 produzidos) diz que esta é uma “produção muito individual, única, radical”. Estes desenhos “muito meticulosos” foram produzidos sob o efeito de psicotrópicos entre 1973-75 enquanto Manuel Barbosa estava estacionado no quartel de Zemba, em Angola, em plena guerra colonial. De técnica também escassa (papel, lápis, régua), foram igualmente uma reacção a um contexto de tensão e absurdo.

 

 

A exposição, patente até 11 Janeiro de 2020, faz parte da linha “Investigar”, um programa da ZDB que pretende mapear contextos, ir ao fundo de um tempo através de uma investigação crítica sobre a sua produção artística. Todas as obras aqui apresentadas nunca foram exibidas em Portugal.

Estas exposições revisitam os anos 1960/70 em Portugal e no Brasil, como um lugar onde ainda há perguntas a fazer. Segundo os curadores, propõe-nos olhar a contra-cultura de um ponto de vista crítico e levar-nos a colocar a questão: como continuar essa vontade de oposição a uma época “baixa”, tal como está a acontecer actualmente?

 

 

 

::::

Alto Nível Baixo
8 Nov 2019 - 11 Jan 2020

Galeria Zé dos Bois, Lisboa

 




Outros artigos: