Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


OKWUI ENWEZOR (1963–2019) ANUNCIADO COMO CURADOR DA 15º EDIÇÃO DA BIENAL DE SHARJAH

2019-11-06




A edição de 2021 da Bienal de Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos, sediará a última exposição do influente curador nigeriano Okwui Enwezor, que faleceu após uma longa batalha contra o cancro em março. Intitulada "Pós-colonial", a exposição é uma sequência do "Pós-guerra: Arte Entre o Pacífico e o Atlântico, 1945-1965" (2016-17), uma apresentação ambiciosa de arte criada após a Segunda Guerra Mundial, aberta na Haus der Kunst de Munique, que ele liderou de 2011 a 2018.

Hoor al-Qasimi, presidente e diretor da Sharjah Art Foundation, disse ao New York Times que a Documenta 11 de Enwezor, em 2002, "mudou completamente a minha vida e o curso de minha carreira". Como o primeiro chefe não europeu da Documenta, Enwezor ampliou o alcance da exposição, levando-a a Viena, Nova Délhi, Índias Ocidentais e Lagos na forma de uma série de “plataformas” externas que abordavam temas diferentes. Al-Qasimi perguntou a Enwezor no verão de 2018 sobre a curadoria de um programa para a décima quinta bienal de Sharjah e colaborou com Enwezor até à sua morte.

Reconhecido pela sua abordagem global para organizar exposições de arte contemporânea em larga escala, que descentralizaram a arte ocidental, Enwezor curou várias exposições internacionais ao longo de sua carreira, muitas das quais receberam elogios da crítica, incluindo a Bienal de Gwangju de 2008, a Trienal de Paris de 2012 e Bienal de Veneza 2015. Enwezor também foi educador, lecionou em várias universidades nos Estados Unidos e atuou como reitor do San Francisco Art Institute de 2005 a 2009, e um escritor prolífico.

A bienal, intitulada “Pensando historicamente no presente”, será aberta em 21 de março de 2021 e contará com trinta comissões de artistas, além da pós-colonial. A historiadora de arte Chika Okeke-Agulu, os curadores Ute Meta Bauer e Tarek Abou El Fetouha , e o estudioso Salah M. Hassan trabalharão com al-Qasimi para o ajudar a realizar a visão de Enwezor.



Fonte: Artforum