Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


SIMONE LEIGH VAI REPRESENTAR OS ESTADOS UNIDOS NA BIENAL DE VENEZA DE 2022

2020-10-15




O Instituto de Arte Contemporânea de Boston anunciou hoje, em conjunto com o Bureau de Assuntos Educacionais e Culturais do Departamento dos Estado dos EUA, que a escultora Simone Leigh vai representar os EUA na 59ª Bienal de Veneza, que ocorrerá de 23 de abril a 27 de novembro de 2022. Leigh é a primeira mulher afro-americana a receber o título nos 125 anos de história da bienal. A artista residente em Brooklyn, conhecida por seu trabalho que reflete sobre a história, raça e género, vai criar uma nova série de esculturas para o pavilhão dos EUA, que é co-comissariada pela diretora do Boston ICA, Jill Medvedow, e pela curadora Eva Respini.

“Ao longo de duas décadas, Simone Leigh criou um corpo de trabalho indelével que centra as experiências e histórias de mulheres negras e, num momento tão crucial da história, não consigo pensar em nenhum artista melhor para representar os Estados Unidos”, disse Medvedow. “A escala e magnificência das obras de Leigh exigem urgente visibilidade e poder. Estamos orgulhosos e honrados em partilhar este trabalho com públicos de todo o mundo na próxima Bienal de Veneza. ”

As contribuições de Leigh para o pavilhão incluirão uma escultura de bronze monumental para o átrio externo, bem como obras figurativas em cerâmica, bronze e ráfia, que preencherão as cinco galerias do pavilhão. As esculturas abordam “o que a artista chama de arquivo incompleto do pensamento feminista negro”, disse Respini, “com obras inspiradas por intelectuais negros. O seu trabalho insiste na centralidade das formas femininas negras dentro da esfera cultural e serve como um farol para o momento que atravessamos. ”

O projeto está a ser realizado em parceria com o Atlanta University Center Art History + Curatorial Studies Collective, um programa do Spelman College que dá formação a futuros curadores, historiadores de arte e profissionais de museus. Nikki Greene, professora assistente de Artes da África e da Diáspora Africana no Wellesley College, e Paul Ha, diretor do MIT List Visual Arts Center, servem de conselheiros do projeto.

O Boston ICA está atualmente a organizar a primeira exposição de pesquisa de Leigh - que vai incluir trabalhos da próxima Bienal - a ser apresentada em Boston em 2023.

Fonte: Artforum