Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


JOSÉ DE GUIMARÃES E MATTIA DENISSE ENCERRAM PROGRAMAÇÃO DE 2020 DO PROJECTO TRAVESSA DA ERMIDA

2020-11-25




O Projecto Travessa da Ermida, em Belém, fecha o ano 2020 com a inauguração em simultâneo das exposições “Dioramas”, de José de Guimarães e “A Failed Enterteinment #4 -Aa”, de Mattia Denisse. A primeira reúne na Ermida N. Senhora da Conceição um conjunto de instalações inéditas e peças de arte africana da coleção pessoal de José de Guimarães. A segunda é uma intervenção de Mattia Denisse na porta n.º 11 da Travessa do Marta Pinto, em Belém, na qual o artista constrói um território de mundividência resgatado à patafísica, utilizando pela primeira vez a fotogravura. Ambas são de entrada livre e podem ser visitadas entre o próximo dia 27 de novembro e 9 de Janeiro de 2021.

Sobre a exposição “Diorama”, de José de Guimarães, a investigadora e curadora Marta Jecu escreve: “o princípio do diorama adotado na arte de José de Guimarães, é uma provocação de lugares-comuns transportados e reforçados pela disciplina da museologia. O que José de Guimarães chama de dioramas não são apenas proto-museus, mas antes anti-museus. Nas suas instalações somos recebidos por um ponto de (des) junção de vários paradigmas museológicos. Podemos pensar nestas instalações como um exemplo tardio do modelo museológico renascentista de gabinete de curiosidades, na medida em que o colecionador José de Guimarães cria o seu universo cumulativo pessoal. De acordo com escolhas subjetivas que resultam de um impulso de saber, essas coleções advêm das suas próprias viagens e esforços científicos. Ao mesmo tempo, essas instalações que são construídas em caixas de transporte internacional funcionam como museus portáteis: o 'objeto de conhecimento' pessoal e heteróclita que se destina a circular no perímetro de um mundo moderno cada vez mais em expansão e em rápida transformação”.

A intervenção «A Failed Entertainment #4 – Aa”, de Mattia Denisse, corresponde ao quarto momento expositivo do projeto curatorial A Failed Entertainment, desenvolvido por Ana Anacleto para o programa De Porta a Porta da Ermida. Em «A Failed Entertainment #4 – Aa”,o artista apresenta uma imagem policromada, construída através de sucessivas camadas, dando seguimento a uma série de desenhos desenvolvidos ao longo do ano de 2020, que têm como denominador comum a utilização de páginas de uma velha enciclopédia como fundo.

De acordo com Ana Anacleto, a intervenção “Aa” referencia o nome atribuído a uma tipologia de lava vulcânica, basáltica, caracterizada morfologicamente pela sua aspereza e composição em blocos quebrados, tendo sido tecnicamente adotado pela Geologia a partir da palavra original havaiana. Este princípio de transposição da linguagem (do som, da palavra) para a caracterização científica de um determinado fenómeno natural e, simultaneamente, a forma como uma imagem pode, tão habilmente, conectar visualmente ideias, pensamentos, conceitos, conectando simultaneamente tempos distintos, é algo que encontramos como recorrente nas propostas do artista. Num universo idiossincrático, extremamente entrecruzado, poliédrico, alimentado de referências às ciências naturais, à filosofia, à mitologia, à ilustração, à antropologia, à história da arte, à literatura (em todas as suas declinações disciplinares) e a tudo o que sobra para lá destas, Mattia Denisse constrói pequenas estórias onde a fantasia, a imaginação e as perceções pessoais têm um papel determinante. Cada imagem, cada diagrama, cada desenho parece assumir-se como uma possível porta de entrada para esse universo”.


A mostra “Dioramas”, de José de Guimarães, está aberta de terça-feira a sábado, entre as 14h00 e as 18h00 e a intervenção «A Failed Entertainment #4 – Aa”, de Mattia Denisse, pode ser visitada diariamente, 24 horas por dia, ambas na Travessa do Marta Pinto, em Belém.








FONTE: Projecto Travessa da Ermida