Links

NOTÍCIAS


ARQUIVO:

 


O ARQUIVO SECRETO DE KARA WALKER VAI SER EXIBIDO ESTE VERÃO NO KUNSTMUSEUM BASEL

2021-01-14




Mantida a sete chaves no seu estúdio por 28 anos, 600 desenhos, colagens, estudos e escritos dos arquivos pessoais de Kara Walker vão ser exibidos no Kunstmuseum Basel neste verão. A exposição, idealizada pelo departamento de gravuras e desenhos do museu (Kupferstichkabinett), está programada para acontecer no terceiro espaço do Kunstmuseum conhecido como Neubau. Será a primeira grande exposição individual da artista americana na Suíça.

O Kunstmuseum está em discussões com Walker e sua galeria Sikkema Jenkins há vários anos. “Convidei Kara Walker para fazer uma exposição no Kunstmuseum Basel e propus um foco nos seus desenhos e não nos seus recortes. Ela gostou da ideia de mostrar o seu trabalho num museu que tem um Kupferstichkabinett muito importante, ou seja, uma das mais antigas coleções públicas de gravuras e desenhos. Poucos meses depois, Kara decidiu que estava pronta para examinar o seu próprio arquivo e ofereceu-se para abri-lo numa mostra em Basel ”, diz Anita Haldemann, curadora da mostra. (Sikkema Jenkins apresentou um resumo da exposição de Basel no seu espaço em Nova York em março do ano passado.)

“Ela escondeu estes desenhos do público e às vezes também de si mesma por serem muito íntimos e muito dolorosos ou muito chocantes para encará-los ou para confrontar o público com eles. E alguns simplesmente sobraram das exposições ou ela não tinha certeza se eram bons o suficiente para serem exibidos ”, diz Haldemann.

A mostra vai abranger toda a carreira da artista e não apenas apresentar o “melhor de”, segundo o curador. Se a pandemia permitir, a própria Walker instalará a exposição em três grandes galerias no nível inferior do Neubau, bem como na ampla passagem que leva ao antigo prédio do museu. Walker quer que a exposição se aparente “desarrumada”, explica Haldemann.

“Mesmo que a sua mostra esteja num museu, ela quer que seu arquivo inunde os cubos brancos e confronte o espectador com a sua grande variedade de imagens e mensagens, com a intimidade e os lados sombrios da sua imaginação.” Será “como uma grande instalação”, diz ela. Walker também teve vitrines especiais projetadas que foram construídas em Basel para "mostrar as peças mais íntimas".

Walker é conhecida por enfrentar questões desafiadoras e divisivas, como racismo, identidade, violência, género e sexualidade por meio de uma abordagem meticulosa e técnica. Ao exibir o seu arquivo pessoal, a mostra visa lançar uma nova luz sobre a prática artística de Walker.

A abundância de desenhos no arquivo revela as múltiplas influências históricas da arte de Walker. Da técnica de Goya e contrastes claro-escuro à linha vibrante de James Ensor e os esboços satíricos de William Hogarth, os maiores desenhadores do mundo, com a sua perspectiva inflexível sobre os acontecimentos da sociedade, que encontram ecos no trabalho de Walker.

“O programa também deixará claro o quão relevante é o seu trabalho hoje, como este está relacionado à situação política nos Estados Unidos e também ao movimento Black Lives Matter”, diz Haldemann. Além disso, a exposição apresenta uma série de novas obras, como seus polémicos retratos do ex-presidente Barack Obama.

Fonte: The Art Newspaper