Links

PERSPETIVA ATUAL


Manuel Borja-Villel

Outros artigos:

2018-10-13


MIRIAN TAVARES


2018-09-11


JULIA FLAMINGO


2018-07-25


RUI MATOSO


2018-06-25


MARIA DE FÁTIMA LAMBERT


2018-05-25


MARIA VLACHOU


2018-04-18


BRUNO CARACOL


2018-03-08


VICTOR PINTO DA FONSECA


2018-01-26


ANA BALONA DE OLIVEIRA


2017-12-18


CONSTANÇA BABO


2017-11-12


HELENA OSÓRIO


2017-10-09


PAULA PINTO


2017-09-05


PAULA PINTO


2017-07-26


NATÁLIA VILARINHO


2017-07-17


ANA RITO


2017-07-11


PEDRO POUSADA


2017-06-30


PEDRO POUSADA


2017-05-31


CONSTANÇA BABO


2017-04-26


MARC LENOT


2017-03-28


ALEXANDRA BALONA


2017-02-10


CONSTANÇA BABO


2017-01-06


CONSTANÇA BABO


2016-12-13


CONSTANÇA BABO


2016-11-08


ADRIANO MIXINGE


2016-10-20


ALBERTO MORENO


2016-10-07


ALBERTO MORENO


2016-08-29


NATÁLIA VILARINHO


2016-06-28


VICTOR PINTO DA FONSECA


2016-05-25


DIOGO DA CRUZ


2016-04-16


NAMALIMBA COELHO


2016-03-17


FILIPE AFONSO


2016-02-15


ANA BARROSO


2016-01-08


TAL R EM CONVERSA COM FABRICE HERGOTT


2015-11-28


MARTA RODRIGUES


2015-10-17


ANA BARROSO


2015-09-17


ALBERTO MORENO


2015-07-21


JOANA BRAGA, JOANA PESTANA E INÊS VEIGA


2015-06-20


PATRÍCIA PRIOR


2015-05-19


JOÃO CARLOS DE ALMEIDA E SILVA


2015-04-13


Natália Vilarinho


2015-03-17


Liz Vahia


2015-02-09


Lara Torres


2015-01-07


JOSÉ RAPOSO


2014-12-09


Sara Castelo Branco


2014-11-11


Natália Vilarinho


2014-10-07


Clara Gomes


2014-08-21


Paula Pinto


2014-07-15


Juliana de Moraes Monteiro


2014-06-13


Catarina Cabral


2014-05-14


Alexandra Balona


2014-04-17


Ana Barroso


2014-03-18


Filipa Coimbra


2014-01-30


JOSÉ MANUEL BÁRTOLO


2013-12-09


SOFIA NUNES


2013-10-18


ISADORA H. PITELLA


2013-09-24


SANDRA VIEIRA JÜRGENS


2013-08-12


ISADORA H. PITELLA


2013-06-27


SOFIA NUNES


2013-06-04


MARIA JOÃO GUERREIRO


2013-05-13


ROSANA SANCIN


2013-04-02


MILENA FÉRNANDEZ


2013-03-12


FERNANDO BRUNO


2013-02-09


ARTECAPITAL


2013-01-02


ZARA SOARES


2012-12-10


ISABEL NOGUEIRA


2012-11-05


ANA SENA


2012-10-08


ZARA SOARES


2012-09-21


ZARA SOARES


2012-09-10


JOÃO LAIA


2012-08-31


ARTECAPITAL


2012-08-24


ARTECAPITAL


2012-08-06


JOÃO LAIA


2012-07-16


ROSANA SANCIN


2012-06-25


VIRGINIA TORRENTE


2012-06-14


A ART BASEL


2012-06-05


dOCUMENTA (13)


2012-04-26


PATRÍCIA ROSAS


2012-03-18


SABRINA MOURA


2012-02-02


ROSANA SANCIN


2012-01-02


PATRÍCIA TRINDADE


2011-11-02


PATRÍCIA ROSAS


2011-10-18


MARIA BEATRIZ MARQUILHAS


2011-09-23


MARIA BEATRIZ MARQUILHAS


2011-07-28


PATRÍCIA ROSAS


2011-06-21


SÍLVIA GUERRA


2011-05-02


CARLOS ALCOBIA


2011-04-13


SÓNIA BORGES


2011-03-21


ARTECAPITAL


2011-03-16


ARTECAPITAL


2011-02-01


ARTECAPITAL


2011-01-12


ATLAS - COMO LEVAR O MUNDO ÀS COSTAS?


2010-12-21


BRUNO LEITÃO


2010-11-29


SÍLVIA GUERRA


2010-10-26


SÍLVIA GUERRA


2010-09-30


ANDRÉ NOGUEIRA


2010-09-22


EL CULTURAL


2010-07-28


ROSANA SANCIN


2010-06-20


ART 41 BASEL


2010-05-11


ROSANA SANCIN


2010-04-15


FABIO CYPRIANO - Folha de S.Paulo


2010-03-19


ALEXANDRA BELEZA MOREIRA


2010-03-01


ANTÓNIO PINTO RIBEIRO


2010-02-17


ANTÓNIO PINTO RIBEIRO


2010-01-26


SUSANA MOUZINHO


2009-12-16


ROSANA SANCIN


2009-11-10


PEDRO NEVES MARQUES


2009-10-20


SÍLVIA GUERRA


2009-10-05


PEDRO NEVES MARQUES


2009-09-21


MARTA MESTRE


2009-09-13


LUÍSA SANTOS


2009-08-22


TERESA CASTRO


2009-07-24


PEDRO DOS REIS


2009-06-15


SÍLVIA GUERRA


2009-06-11


SANDRA LOURENÇO


2009-06-10


SÍLVIA GUERRA


2009-05-28


LUÍSA SANTOS


2009-05-04


SÍLVIA GUERRA


2009-04-13


JOSÉ MANUEL BÁRTOLO


2009-03-23


PEDRO DOS REIS


2009-03-03


EMANUEL CAMEIRA


2009-02-13


SÍLVIA GUERRA


2009-01-26


ANA CARDOSO


2009-01-13


ISABEL NOGUEIRA


2008-12-16


MARTA LANÇA


2008-11-25


SÍLVIA GUERRA


2008-11-08


PEDRO DOS REIS


2008-11-01


ANA CARDOSO


2008-10-27


SÍLVIA GUERRA


2008-10-18


SÍLVIA GUERRA


2008-09-30


ARTECAPITAL


2008-09-15


ARTECAPITAL


2008-08-31


ARTECAPITAL


2008-08-11


INÊS MOREIRA


2008-07-25


ANA CARDOSO


2008-07-07


SANDRA LOURENÇO


2008-06-25


IVO MESQUITA


2008-06-09


SÍLVIA GUERRA


2008-06-05


SÍLVIA GUERRA


2008-05-14


FILIPA RAMOS


2008-05-04


PEDRO DOS REIS


2008-04-09


ANA CARDOSO


2008-04-03


ANA CARDOSO


2008-03-12


NUNO LOURENÇO


2008-02-25


ANA CARDOSO


2008-02-12


MIGUEL CAISSOTTI


2008-02-04


DANIELA LABRA


2008-01-07


SÍLVIA GUERRA


2007-12-17


ANA CARDOSO


2007-12-02


NUNO LOURENÇO


2007-11-18


ANA CARDOSO


2007-11-17


SÍLVIA GUERRA


2007-11-14


LÍGIA AFONSO


2007-11-08


SÍLVIA GUERRA


2007-11-02


AIDA CASTRO


2007-10-25


SÍLVIA GUERRA


2007-10-20


SÍLVIA GUERRA


2007-10-01


TERESA CASTRO


2007-09-20


LÍGIA AFONSO


2007-08-30


JOANA BÉRTHOLO


2007-08-21


LÍGIA AFONSO


2007-08-06


CRISTINA CAMPOS


2007-07-15


JOANA LUCAS


2007-07-02


ANTÓNIO PRETO


2007-06-21


ANA CARDOSO


2007-06-12


TERESA CASTRO


2007-06-06


ALICE GEIRINHAS / ISABEL RIBEIRO


2007-05-22


ANA CARDOSO


2007-05-12


AIDA CASTRO


2007-04-24


SÍLVIA GUERRA


2007-04-13


ANA CARDOSO


2007-03-26


INÊS MOREIRA


2007-03-07


ANA CARDOSO


2007-03-01


FILIPA RAMOS


2007-02-21


SANDRA VIEIRA JURGENS


2007-01-28


TERESA CASTRO


2007-01-16


SÍLVIA GUERRA


2006-12-15


CRISTINA CAMPOS


2006-12-07


ANA CARDOSO


2006-12-04


SÍLVIA GUERRA


2006-11-28


SÍLVIA GUERRA


2006-11-13


ARTECAPITAL


2006-11-07


ANA CARDOSO


2006-10-30


SÍLVIA GUERRA


2006-10-29


SÍLVIA GUERRA


2006-10-27


SÍLVIA GUERRA


2006-10-11


ANA CARDOSO


2006-09-25


TERESA CASTRO


2006-09-03


ANTÓNIO PRETO


2006-08-17


JOSÉ BÁRTOLO


2006-07-24


ANTÓNIO PRETO


2006-07-06


MIGUEL CAISSOTTI


2006-06-14


ALICE GEIRINHAS


2006-06-07


JOSÉ ROSEIRA


2006-05-24


INÊS MOREIRA


2006-05-10


AIDA E. DE CASTRO


2006-04-20


JORGE DIAS


2006-04-05


SANDRA VIEIRA JURGENS



A ÚLTIMA OPORTUNIDADE



MANUEL BORJA-VILLEL

2011-02-18




Num texto publicado no El País, de 10 de Fevereiro de 2011, Manuel Borja-Villel, director do Reina Sofia, analisa a história e a posição da Arco no contexto internacional e no panorama cultural espanhol. A sua opinião intitula-se: A Última Oportunidade.



Durante quase um par de décadas, a Arco gozou de um inesperado protagonismo no panorama artístico espanhol. Mais que uma feira propriamente dita, a Arco foi um referente cultural. Gerações inteiras de estudantes habituaram-se a ver arte contemporânea nos seus pavilhões, e foram assumindo que as novidades da feira representavam o que acontecia no mundo. Mas, como acontecimento artístico, a Arco estabeleceu o seu próprio cânone, que logicamente tem mais a ver com os valores do mercado do que com os da criação e do conhecimento.

As feiras são lugares de intercâmbio por antonomásia e costumam surgir em contextos nos quais o coleccionismo e as galerias são muito potentes. A Arco, pelo contrário, foi fundada no início da década de oitenta, numa Espanha em que o mercado de arte era, como muito, incipiente. Edificou-se a estrutura com a esperança de que esta gerasse o conteúdo. Não surpreende a ambiguidade estrutural em que Arco assentou desde o seu início, nem que, ao longo do tempo, fosse causa de grandes debates entre directores, galeristas, críticos e artistas. Por um lado, insistia-se em que a feira deveria reduzir o número de stands, melhorar a qualidade da sua oferta e centrar-se nos profissionais do sector. Por outro lado, as actividades paralelas tiveram sempre uma importância capital e nela analisaram-se frequentemente, com uma desigual afluência de público, temas que tinham pouco que ver com a feria ou eram directamente contraditórios com o que aí se mostrava.

A Arco teve sempre um grande êxito mediático e de público. Ano após ano a imprensa e a televisão cobriram as suas iniciativas até ao mais mínimo pormenor, o número de visitantes cresceu exponencialmente e os representantes políticos não cessaram de assistir pontualmente aos seus actos. Contudo, a euforia e o prestígio social da Arco não garantiram a sua relevância artística.

Sabia-se que a Arco não iria ser Art Basel, mas existia a esperança de que chegasse a ter uma certa centralidade no que diz respeito à nova criação e de que fosse a grande ponte com a América Latina. Pouco a pouco impôs-se o princípio de realidade e comprovámos como estes mercados foram ocupados por outras feiras que demonstraram gozar de um maior dinamismo. A Frieze, em Londres, começou a mostrar o trabalho de artistas mais jovens e Miami Art Basel atraiu os grandes coleccionadores latino-americanos. Apesar da reiteração com que expuseram as diversas manifestações da arte digital e o interesse pelo denominado “Cutting edge”, também se entendeu que, na sociedade actual, estavam a gerar-se outros dispositivos de exposição e distribuição, e que estes já não podiam ficar reduzidos ao âmbito da galeria tradicional.

A Arco é hoje um sintoma dos problemas que o sistema artístico espanhol enfrenta: falta de visibilidade, carência de um relato próprio e certas doses de afectação. Enganámo-nos quando pensávamos que as infra-estruturas forjariam por si um discurso e tecido cultural, porque o resultado foi a dissolução do espaço público no domínio da publicidade e a absorção do artístico pelo social. Fomentou-se o espectáculo, pensando que os números eram tudo, mas logo que os recursos económicos começaram a diminuir, a realidade de um mercado muito precário e de um debate de pouco calado, tornou-se cruamente visível.

É inegável que os modelos em que a nossa engrenagem cultural se baseou deixaram de ser válidos e que é necessário desenvolver novos paradigmas. Também não resta dúvidas de que a ansiedade por sermos reconhecidos (o que não deixa de ser uma forma perversa de reforçar uma hegemonia na qual parece que estamos condenados a permanecer numa posição subalterna) foi uma constante na nossa história recente. Temos que estar conscientes da excepcionalidade da nossa história e da precariedade da nossa modernidade. Talvez tenha chegado a hora de deixarmos de nos olhar através de estruturas estabelecidas e procurar uma posição própria no mundo que se transforma muito rapidamente. Se a Arco quer desempenhar um papel relevante neste contexto, temos de entender que o importante não é potenciar uma política de vendas a curto prazo, nem refugiar-se nos benefícios proporcionados pelo aluguer dos stands ou na repercussão mediática. As épocas de crise são também períodos de transformações profundas. A Arco, encontra-se possivelmente perante a sua última oportunidade, e chegou o momento de propor uma feira que se converta num autêntico lugar de intercâmbio e negociação. Um lugar no qual tenham espaço os novos modos de produção e de uso que caracterizam o mundo global em que vivemos, e no qual a realidade ibero-americana seja um dos eixos vertebrais.



NOTA
A versão original do texto está disponível em: www.tinyurl.com/475f86b
Wholesale sildenafil sildenafil purchase cheap levitra online buy http://www.socgeografialisboa.pt/viagra-free-trial/ viagra 200 mg price in india, levitra 20mg cheap cost comparison cialis viagra levitra.
Mg 100 sildenafil canada cialis generic payment generic cialis paypal http://www.socgeografialisboa.pt/cheap-sildenafil-citrate-tablets/ viagra sildenafil citrate online, cheap online cialis sale fast shipping generic viagra.
Generic viagra in india in tadalafil cost india in us vardenafil is the available tadalafil free trial, levitra vs viagra canada free sample viagra.
Japao viagra cialis from tadalafil india cialis vs viagra en espanol viagra vs cialis tablet viagra online purchase ed drugs ed pills otc, sildenafil 100mg citrate tablets price levitra prescription cheap.
Paypal online generic viagra price levitra buy cialis vs viagra doses mg cialis vs viagra sales dapoxetine sildenafil india citrate in order ed drugs popular ed pills otc, price buy cialis 20mg vardenafil generic 20mg levitra.
Otc pills pack ed prices tadalafil 10mg 20mg cialis generic http://www.socgeografialisboa.pt/buy-viagra-in-london/ viagra in bulk, holland cialis discount cialis.