Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Da História das Imagens


Manuel Casimiro
Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Nem tudo no navio se deteriora no porão


DALILA GONÇALVES
Galeria Lehmann + Silva, Porto

Humor


ISABEL SIMÕES
Bruno Múrias,

WHILE THEY SLEEP THEY DREAM


LEONOR HIPÓLITO
Espaço AZ, Lisboa

O Quase Nada


CHRISTINE HENRY
Museu Municipal de Faro, Faro

Corpo + Acção = Performance


Beatriz Albuquerque
Quase Galeria, Porto

Las Golondrinas


Maya Saravia
Balcony, Lisboa

Public


Gerry Bibby
Lumiar Cité - Maumaus, Lisboa

No dia seguinte está o agora


Colectiva
CAPC - Círculo de Artes Plásticas, Coimbra

Físicas do Património Português. Arquitetura e Memória


COLECTIVA
Museu de Arte Popular, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


CHRISTINE HENRY

O Quase Nada




MUSEU MUNICIPAL DE FARO
Largo Afonso III 14
8000-167 FARO

12 JAN - 24 FEV 2019


Inauguração: 12 de Janeiro às 18h00



CHRISTINE HENRY
O Quase Nada


A exposição de escultura O Quase Nada, de Christine Henry, é a terceira mostra do ciclo de arte contemporânea A Arte Faz Bem? (2018/2019)— uma proposta da Artadentro em colaboração com o Município de Faro e o Museu Municipal de Faro.

Christine Henry é uma artista cuja obra faz uso de várias disciplinas plásticas, embora sejam a fotografia e a escultura os meios a que mais recorre. As suas obras têm como ponto de partida objectos pré-existentes, cujas características formais e/ou função, vêm de encontro às suas próprias reflexões sobre questões como identidade, lugar, tempo, vazio e/ou ausência. Neste projecto, “o quase nada” pode também ser “o quase tudo”, como que colocando um problema de escala à questão ontológica da natureza humana: à pulsão de transcender a sua condição (elevação), o humano sofre a força da gravidade (queda), que o remete inexoravelmente de volta à sua também natural condição de bicho.

O ciclo de arte contemporânea A Arte Faz Bem?, incluindo quatro exposições, teve início em Outubro de 2018 e decorre até Maio de 2019, com curadoria da Artadentro, realizado em colaboração com o Museu Municipal de Faro e apoiado pelo Município de Faro. Trata-se de uma iniciativa que procura contribuir para a dinamização da actividade artística no Algarve, bem como para a criação e formação de públicos.


:::


Christine Henry (Porto, 1958), de origem francesa instala-se em Loulé em 1981, onde actualmente reside e trabalha. Tendo crescido num ambiente familiar onde a arte sempre fez parte do quotidiano, faz uma pós-graduação em Artes e Programação Cultural em 2006, no Instituto Superior D.Afonso III em Loulé, em 2009 participa no Mobilehome - Curso experimental de Arte Contemporânea, coordenado pelo curador Nuno Faria. Desde o ano 2000 expõe o seu trabalho em Portugal, Espanha e França, em exposições individuais e colectivas.