Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Convidados de Verão: Joalharia Contemporânea em Portugal


Coletiva
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

10 / 40


Coletiva
,

Marginália P.21


Cristina Lamas
Travessa da Ermida, Lisboa

Union Jacking. Voice of the Voice£ess


YONAMINE
Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa

Fuga


Christine Henry
Associação 289, Faro

Bela e Má


Ana Vidigal
Museu Leopoldo de Almeida, Caldas da Rainha

RED AS SCARLET WHITE AS SNOW


MANUEL CALDEIRA
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

estoutro


Coletiva
Espaço Cultural das Mercês, Lisboa

Brincar diante de Deus. Arte e liturgia: Matisse, Vieira da Silva e Lourdes Castro


Matisse, Vieira da Silva e Lourdes Castro
Museu Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Waiting room


Coletiva
Galeria Cisterna, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


DANIEL FERNANDES

FUNÂMBULO




GIEFARTE - GALERIA DE ARTE
Rua da Arrábida, 54 BC
1250-034 LISBOA

07 FEV - 20 FEV 2019


INAUGURAÇÃO: 7 de Fevereiro, 18h-21h



DANIEL FERNANDES | FUNÂMBULO


"Focando o seu trabalho na prática disciplinar do desenho e recorrendo inúmeras vezes à sua condição performativa, o artista utiliza o processo e seus imprevistos como ferramentas que lhe permitem testar a proximidade entre cérebro e mão, pensamento e ação, preservando a presença do corpo e as suas marcas como elemento fundamental nesse questionamento e elemento estruturante do seu próprio processo. Ao longo do tempo, passou a usar a condição transitiva desta prática como parte do desenvolvimento de uma linguagem na qual os fins são claramente menos importantes que os meios. O que lhe interessa é a ideia de uma prática, e não um resultado; de uma ação, em vez de um objeto; de um verbo, em vez de um substantivo. No fundo, assim como no performance daquele que caminha sobre uma corda bamba, estamos a lidar aqui com um processo, com a criação de um sistema autónomo, hiper-consciente, capaz de manter uma conexão muito próxima e muito focada entre o exterior e o interior, favorecendo o caminho em direcção ao encontro com aquela autoconsciência de que Jean Genet falou."

Ana Anacleto - Excerto da folha de sala