Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Olhares Mútuos


Sophia e Maria Helena
Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Lost Lover


Coletiva
Rampa, Porto

>e(c(o< / Rio de Parede


Pedro Tudela & Artur Lescher
Kubikgallery, Porto

(In)dispensável ou A pintura que inquieta a colecção do museu


Rui Macedo
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

África Diversidade Comum


Coletiva
Movart, Lisboa

Tu sei la noite


Anna Franceschini
Galeria Vera Cortês, Lisboa

O.F.F LAND


Pedro Calhau
Módulo – Centro Difusor de Arte (Lisboa), Lisboa

A Pele do Fantasma


JOÃO MARIA GUSMÃO + PEDRO PAIVA
Colecção Maria e Armando Cabral, Lisboa

Mamografias por Satélite


Rodrigo Gomes
The Room - video project, Lisboa

Gaze Dithering


David Maljković
Galeria Francisco Fino, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


PEDRO VALDEZ CARDOSO

Sob o Signo de Saturno




QUARTEL DA ARTE CONTEMPORÂNEA DE ABRANTES, COLEÇÃO FIGUEIREDO RIBEIRO
Largo de Sant’ana
2200 – 348 ABRANTES

16 MAR - 16 MAR 2019


Inauguração: 16 de Março, às 16h00, no Quartel das Artes, em Abrantes

A exposição “Sob o Signo de Saturno” reúne um conjunto de obras seleccionadas a partir do núcleo de obras de Pedro Valdez Cardoso pertencentes à Colecção Figueiredo Ribeiro.

Tomando de empréstimo o título da obra Under the sign of Saturn, publicado em 1980 por Susan Sontag, a exposição pretende construir-se a partir do conjunto de relações dialógicas propostas pelas próprias obras e destas com o espaço expositivo. Trabalhando em torno da ideia de melancolia (entendida à luz da pós-modernidade), presente ou evocada em grande parte dos trabalhos do artista, contaremos com a apresentação de obras, cuja origem e datação poderá ser naturalmente distinta, mas nas quais encontramos essa condição saturnina, desencantada, proto-trágica de que fala Susan Sontag.