Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

ARQUIVO DE DESTRUIÇÃO


PEDRO LAGOA
Culturgest, Lisboa

Neste corpo não há poesia


Bárbara Fonte
CAAA - Centro para os Assuntos de Arte e Arquitectura, Guimarães

Público/Privado - Doce Calma ou Violência Doméstica?


COLECTIVA
Centro de Artes de Sines, Sines

The Soft and Weak Are Companions of Life


Zheng Bo
Kunsthalle Lissabon, Lisboa

Pequenas Notas sobre Figuração


Eugénia Mussa, Daniel V. Melim e Thomas Braida
Monitor, Lisboa

Inhale, Exhale (self-breathing kit)


Paulo Arraiano
Travessa da Ermida, Lisboa

Leap of Faith


COLECTIVA
No.No, Lisboa

Homework


COLECTIVA
Madragoa, Lisboa

Como silenciar uma poeta


Susana Mendes Silva
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Lourdes Castro: A vida como ela é


Lourdes Castro
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


COLETIVA

Waiting room




GALERIA CISTERNA
Rua António Maria Cardoso 27
1200-026

27 JUN - 15 AGO 2019


Inauguração: 27 de Junho, às 19h, na Galeria Cisterna.

No limbo. Num tempo em suspensão, líquido, em trânsito permanente. Um tempo entre tempos, entre passados e presentes, que rasura, que apaga as suas origens para tentar agarrar o mundo, sempre de olhos virados para o interior.
Uma sala de espera. Um espaço intersticial. Permanentemente entre. À espera de ser. De acontecer. Num tempo entre o pós e o altermodernismo. Um tempo que traz consigo a melancolia, a espiral auto-referencial, mas abraça o presente, numa ode à eterna juventude. Um retrato de uma sociedade em transição que se (des)constrói à procura de novos conceitos. Uma sociedade que se liquidifica, ansiosa, solitária e instável, onde a única certeza é a incerteza. Na sala de espera estão Cecília Corujo, Maia Horta e Juliana Julieta, naquela que é a terceira abertura ao público da Cisterna.

Curadoria de Patrícia Trindade.