Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Hikari (luz, light) ペドロ・メデイロス


Pedro Medeiros
Arquivo Municipal de Lisboa/Núcleo Fotográfico, Lisboa

GRID #6


Christophe Daviet-Thery
Kunsthalle Lissabon, Lisboa

Convidados de Verão: Joalharia Contemporânea em Portugal


Coletiva
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

10 / 40


Coletiva
,

Marginália P.21


Cristina Lamas
Travessa da Ermida, Lisboa

Union Jacking. Voice of the Voice£ess


YONAMINE
Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa

Fuga


Christine Henry
Associação 289, Faro

Bela e Má


Ana Vidigal
Museu Leopoldo de Almeida, Caldas da Rainha

RED AS SCARLET WHITE AS SNOW


MANUEL CALDEIRA
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

estoutro


Coletiva
Espaço Cultural das Mercês, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


COLETIVA

Waiting room




GALERIA CISTERNA
Rua António Maria Cardoso 27
1200-026

27 JUN - 15 AGO 2019


Inauguração: 27 de Junho, às 19h, na Galeria Cisterna.

No limbo. Num tempo em suspensão, líquido, em trânsito permanente. Um tempo entre tempos, entre passados e presentes, que rasura, que apaga as suas origens para tentar agarrar o mundo, sempre de olhos virados para o interior.
Uma sala de espera. Um espaço intersticial. Permanentemente entre. À espera de ser. De acontecer. Num tempo entre o pós e o altermodernismo. Um tempo que traz consigo a melancolia, a espiral auto-referencial, mas abraça o presente, numa ode à eterna juventude. Um retrato de uma sociedade em transição que se (des)constrói à procura de novos conceitos. Uma sociedade que se liquidifica, ansiosa, solitária e instável, onde a única certeza é a incerteza. Na sala de espera estão Cecília Corujo, Maia Horta e Juliana Julieta, naquela que é a terceira abertura ao público da Cisterna.

Curadoria de Patrícia Trindade.