Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

ARQUIVO DE DESTRUIÇÃO


PEDRO LAGOA
Culturgest, Lisboa

Neste corpo não há poesia


Bárbara Fonte
CAAA - Centro para os Assuntos de Arte e Arquitectura, Guimarães

Público/Privado - Doce Calma ou Violência Doméstica?


COLECTIVA
Centro de Artes de Sines, Sines

The Soft and Weak Are Companions of Life


Zheng Bo
Kunsthalle Lissabon, Lisboa

Pequenas Notas sobre Figuração


Eugénia Mussa, Daniel V. Melim e Thomas Braida
Monitor, Lisboa

Inhale, Exhale (self-breathing kit)


Paulo Arraiano
Travessa da Ermida, Lisboa

Leap of Faith


COLECTIVA
No.No, Lisboa

Homework


COLECTIVA
Madragoa, Lisboa

Como silenciar uma poeta


Susana Mendes Silva
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Lourdes Castro: A vida como ela é


Lourdes Castro
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


LUIS CAMNITZER

CUADERNO DE EJERCICIO




HANGAR - CENTRO DE INVESTIGAÇÃO ARTISTICA
Rua Damasceno Monteiro, 12
1170-112 LISBOA, PORTUGAL

13 SET - 02 NOV 2019


O HANGAR - Centro de Investigação Artística, inaugura no dia 13 de setembro, sexta-feira, às 19h, CUADERNO DE EJERCICIOS, o projeto que assinala a primeira apresentação individual em Portugal do artista uruguaio, histórico da Arte Concetual e impulsionador do Conceptualismo Global - Luis Camnitzer.

A exposição de Camnitzer acontece no HANGAR após a recente retrospetiva HOSPICE OF FAILED UTOPIAS (2018/19) no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid, e constitui uma oportunidade ímpar para acompanhar o trabalho do artista no contexto Europeu. Camnitzer desloca-se a Lisboa para a apresentação do projeto e durante a inauguração pública estão programadas uma conversa e visita-guiada com o artista e o curador Bruno Leitão.

CUADERNO DE EJERCICIOS é uma série iniciada em 2011, que Camnitzer prossegue com apresentações em diferentes suportes e contextos, e composições que resultam sempre imprevisíveis. O trabalho concretiza-se com a participação dos visitantes, que são convidados a seguirem instruções e a dar resposta a exercícios intervindo diretamente nas paredes. No HANGAR serão expostos 18 exercícios constituídos por enunciados na língua materna do artista – o Espanhol, e elementos aleatórios, por vezes ilustrativos. Num dos exercícios pede-se: Existem doze passos entre a infelicidade e a felicidade. Como descreveria cada uma dessas etapas?

Camnitzer foi uma referência central na criação do programa artístico que orienta o HANGAR e apresentar o artista em Portugal é uma antiga ambição de Bruno Leitão, curador responsável pelo programa de exposições e co-fundador do espaço, que finalmente se concretiza. Luis Camnitzer é um artista, pensador e educador cuja influência é fundamental para muitos artistas, teóricos e curadores. O seu corpo de trabalho e o alcance geográfico intimidador dos seus escritos sobre a história da arte conceitual foram fundamentais para uma perceção mais ampla das implicações políticas do conceitualismo, escreve o curador na apresentação do projeto, que também destaca pelo carácter participativo: o público é convidado a participar, a opinar, a intervir criticamente (…) na própria instalação do artista.

Entre setembro e outubro o espaço de exposição será ativado por um conjunto de atividades desenvolvidas no âmbito do projeto de Participação do HANGAR e dirigidas a participantes dos 6 aos 14 anos (MINI-HANGAR), dos 15 aos 25 anos e a grupos de escolas, mediante reserva e pré-inscrição. Estes ateliers lúdico-pedagógicos serão centrados nos exercícios de Camnitzer e nos conceitos de pedagogia, arte e educação também presentes na sua obra itinerante O MUSEU É UMA ESCOLA (2009 até ao presente), com o subtexto - O artista aprende a comunicar. O público aprende a fazer conexões, que tem sido instalada em fachadas de importantes museus como o Guggenheim em Nova Iorque, Jumex na Cidade do México e Museu de Arte de Ponce em Porto Rico.