Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Estancias de la pintura. Calavera resumida


Pedro Morales Elipe
Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Lisboa

Tchiloli Family


RENÉ TAVARES
ELA - Espaço Luanda Arte, Luanda

Topografias Rurais


Alberto Carneiro, Ana Lupas, Lala Meredith-Vula e Claire de Santa Coloma
Vários locais/Lisboa, Lisboa

A Imagem da Palavra


EUGÈNE GREEN
Casa do Cinema Manoel de Oliveira, Porto

O vazio da minha alma


MARA CASTILHO
Livraria Sá da Costa, Lisboa

Prémio Sonae


Coletiva
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

O Ponto Perfeito


Maria Pia Oliveira
Fundação Portuguesa das Comunicações,

Desenho e Pintura sobre papel


JORGE FEIJÃO
Giefarte - Galeria de Arte, Lisboa

PAULIANA VALENTE PIMENTEL: Empty Quarter #2 (Rub Al’Khali)


PAULIANA VALENTE PIMENTEL
Galeria sala117, Porto

What Photography has in Common with an Empty Vase


Edgar Martins
Galeria Filomena Soares, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


PAULIANA VALENTE PIMENTEL

PAULIANA VALENTE PIMENTEL: Empty Quarter #2 (Rub Al’Khali)




GALERIA SALA117
R. de Damião de Góis 200


23 NOV - 18 JAN 2020


A Galeria sala117, no Porto, inaugura no próximo dia 23 de Novembro, pelas 18h00, a exposição Empty Quarter #2 (Rub Al’Khali) de Pauliana Valente Pimentel. Esta é a primeira vez que a artista expõe numa galeria portuense e traz consigo uma série fotográfica que retrata os Emiratis, os locais dos Emirados Árabes Unidos, os seus usos e costumes, a sua riqueza, a sua maneira excêntrica de viver, recriando no meio do Deserto tudo o que não têm.

Pauliana Valente Pimentel visitou o Dubai pela primeira vez em 2015, incursão essa que resultou numa exposição no projecto o - apartamento, em Lisboa. Voltou em 2017 e agora, em 2019, mostra na sala117 o resultado do seu trabalho cujo objectivo final é ter uma mostra no Dubai durante a Expo 2020. A mostra fica patente até 18 de Janeiro de 2020.

Decidiu-se que este projeto teria 5 anos, uma vez que o meu objectivo era retratar os Emiratis, os locais dos Emirados Árabes Unidos, os seus usos e costumes, a sua riqueza, a sua maneira excêntrica de viver, em que no meio do Deserto recriam tudo o que não têm. Para conseguir entrar dentro do mundo Árabe não é fácil, leva tempo, eles não gostam de ser fotografados, e são uma cultura fechada, com raízes muito próprias, e eu sendo uma mulher também não ajuda. Na realidade constatei com o tempo que quando te acolhem e aceitam, é para a vida. Vivi em ambientes de muito difícil acesso e inimagináveis para um ocidental e tratei retratá-los da forma mais fiel possível, mas para isso foi preciso voltar e ganhar a confiança. Mesmo não sendo obrigada a estar tapada, usei sempre véu e obedeci a todas as regras de etiqueta como forma de respeito e aceitação.

A ideia era um ano ir fotografar e o ano seguinte apresentar o trabalho, depois voltar e voltar a apresentar novo trabalho sendo que o objectivo final é ter uma mostra final no Dubai em 2020, durante a EXPO2020.

A minha primeira viagem foi em 2015, e resolvi fazer a primeira mostra num apartamento, em 2016, pois tal como lá, tudo é muito escondido, e é preciso conseguir entrar numa casa para os conhecer, e por isso fez sentido para mim fazer a primeira exposição num apartamento e onde as peças fizessem parte da decoração. O – apartamento, um projeto do Armando Ribeiro, em Lisboa, mostrou-se aberto para fazer esta exposição, e esteve aberta ao publico durante dois meses. Voltei ao Dubai em 2017, para fotografar, e agora em 2019, a sala 117 no Porto, convidou-me para mostrar este trabalho. Para além das peças antigas, tem novas peças e um
vídeo. Fica assim concluída a minha série “Empty Quarter, que é a tradução para inglês do nome do deserto deles “Rub Al`Khali”, deserto este que está nas suas origens, os Emiratis vêm de tribos do deserto, e foi do deserto que brotou (e que cresce como cogumelos) tudo o que eles construíram, graças à descoberta do petróleo, esse líquido tão desejado. Fui várias vezes ao deserto, um sítio em que eu própria tenho uma grande atração, e onde vi desde Árabes a treinarem os falcões para caçar, a uma duna gigante onde vão passar o fim de semana a “passear” os seus luxuosos carros. Nesta série, vemos os usos e costumes deste povo que veio do deserto. Apresentar agora o trabalho final numa galeria, faz todo o sentido para mim, o passar de um apartamento, mais privado, para um espaço aberto, uma galeria linda e de espaços abertos, com uma arquitetura muito semelhante às galerias que se encontram no Dubai – onde as peças vão conviver de certeza de uma forma sublime. Eu já pertenci a duas galerias em Lisboa, a Galeria 3+1 Arte Contemporânea durante 5 anos, e 7 anos na Galeria das Salgadeiras. Atualmente colaboro com diversas galerias não só em Portugal, como no estrangeiro. Vai ser a primeira vez que vou pertencer a uma galeria no Porto, a Sala 117, e estou muito optimista em relação a esta nova etapa. Este ano fiz uma residência artística nos Maus Hábitos, a convite do Daniel Pires, e realizei um trabalho sobre a juventude portuense que frequenta os Maus Hábitos, a série “Ask The kids” que foi apresentada em Agosto, e que teve muito sucesso, e agora vou ter o “Empty Quarter #2” em Novembro, e por isso estou muito feliz de começar a mostrar o meu trabalho no Porto.