Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Camera Lucida


Ramiro Guerreiro e Thierry Simões
Galeria Quadrum, Lisboa

A E I O U: Os Espacialistas em Pro(ex)cesso


Os Espacialistas
Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, Coimbra

177,26 Km


Pedro Valdez Cardoso
Galeria Sete, Coimbra

GREAT MOMENTS / ARPAD E AS CINCO / VIEIRARPADOJI & POUF VIEIRA


EDUARDO BATARDA / ANA VIDIGAL / PEDRO PORTUGAL
Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

Globotomia


Rigo 23
Galeria Quadrado Azul (Novo espaço em Lisboa), Lisboa

Linha Funda


Nuno Sousa Vieira
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

The Skull of the Haunted Snail


Andreia Santana
Hangar - Centro de Investigação Artistica, Lisboa

O Que Não Temos Podemos Criar


COLECTIVA
PADA Studios, Barreiro

Air Through Soft Solids (Part II)


Diogo Tudela
Galeria Presença (Porto), Porto

Speculative Intimacy


ALICIA KOPF
Fidelidade Arte, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


SEBASTIÃO RESENDE

Murmurar na Noite




MUPI GALLERY
Rua Passos Manuel 178\r\n4º andar
4000-382 PORTO

30 JUL - 09 SET 2020


INAUGURAÇÃO: 30 de Julho, das 19h às 23h


Murmurar na Noite
de Sebastião Resende


Ciclo "Poético ou Político?"
Curadoria de João Baeta



"Para esta minha exposição em pleno verão-covid-20 de ainda muito incertas certezas e brumoso discurso para pessoas de lugares e tempos desde sempre muito desiguais, e vinculado apenas a três peças para apresentar, escolhi estas fotografias / fulgurações neste esgotamento...

Enquadram-se em séries, ora de pequenas construções para serem fotografadas, ora de encontros suficientemente palpitantes para um tornar visível que vá para além da inóspita e adversa realidade.
Olhar-antecipar-e-ver, metamorfoses em imagens facilitadas pela óptica, cintilações vagarosas...

Imitando a vida...
"Lá vai a bicicleta do poeta em direcção
ao símbolo, por um dia de verão
exemplar. De pulmões às costas e bico
no ar, o poeta pernalta dá à pata
nos pedais. Uma grande memória, os sinais
dos dias sobrenaturais e a história
secreta da bicicleta. O símbolo é simples.
Os êmbolos do coração ao ritmo dos pedais -
lá vai o poeta em direcção aos seus
sinais.” (H. Helder).



:::


Sebastião Resende tem formação pela ESBAP/Universidade do Porto (73-78) e MA por Tama Art University, Tokyo (84-87). Frequentou igualmente nestes anos as aulas de Kazuo Ohno, fundador do Butoh (dança/teatro).
Tem actividade pública regular em diversos media desde 1976.
Na sua obra revela uma atitude atenta aos debates e desenvolvimentos conceptuais da nossa contemporaneidade, assim como uma constante experimentação oficinal.

De 29 exposições individuais destaca as últimas: “Murmurar na Noite”/” Murmur in the Night”, Maus Hábitos, Porto, 2020; “Quando Se Extinguiram o Espaço Ficou Vazio”/"When Extinguished the Space Became Empty", Casa das Artes, Porto (2019); “Sobre a Terra Fendida Uma Chama”/ “Over the Cracked Earth A Flame”, Museu da Guarda (2018), “Neste Ninho de Vespas”/ “In this Wasps Nest” e “Fecit Potentiam”, Sismógrafo, Porto (2017 e 2014); “The Lying Chair”, Galeria Quadrado Azul, Lisboa (2010); “Naufrágio Pluma”, Galeria Quadrado Azul, Porto. (2009); “Tem nos Olhos o Tempo Simultâneo”/ “Has in the Eyes the Simultaneous Time”, O Espaço do Tempo, Montemor-o- Novo. (2007) e “Sem Título Tranquilo III” Galeria Quadrado Azul, Porto. (2003).
Participou em mais de 130 exposições colectivas.

Está representado em várias colecções privadas e institucionais, nomeadamente Fundação de Serralves, Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação PLMJ, Kloster Bentlage, Rheine (Alemanha), Spoleto Festival dei Due Mondi (Itália).
Elemento fundador do espaço Sismógrafo, Porto.
Obteve vários prémios em contexto nacional e alguns internacionais, o último dos quais o Grande Prémio Amadeu de Souza-Cardoso, 2017.