Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Alicia Kopf, An understanding of control, 2019.

Outras recomendações:

The Skull of the Haunted Snail


Andreia Santana
Hangar - Centro de Investigação Artistica, Lisboa

O Que Não Temos Podemos Criar


COLECTIVA
PADA Studios, Barreiro

Air Through Soft Solids (Part II)


Diogo Tudela
Galeria Presença (Porto), Porto

Speculative Intimacy


ALICIA KOPF
Fidelidade Arte, Lisboa

da serra e da terra


COLECTIVA
Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural, Porto

WAVES AND WHIRLPOOLS


LUÍS LÁZARO MATOS
Galeria Municipal do Porto, Porto

Corpo radial


Mariana Caló & Francisco Queimadela
Galeria Boavista, Lisboa

Dear Image, Part II


COLECTIVA
3 + 1 Arte Contemporânea, Lisboa

LISTAS


SARA & ANDRÉ
ZARATAN - Arte Contemporânea , Lisboa

Earthkeeping/Earthshaking - arte, feminismos e ecologia


COLECTIVA
Galeria Quadrum, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ALICIA KOPF

Speculative Intimacy




FIDELIDADE ARTE
Largo do Chiado, 8
1249-125 LISBOA

10 SET - 20 NOV 2020


INAUGURAÇÃO: 10 de Setembro, entre as 17h e as 21h



Speculative Intimacy
de Alicia Kopf


A Fidelidade Arte e a Culturgest inauguram no próximo dia 10 de setembro a exposição “Speculative Intimacy”, da artista plástica e escritora catalã Alicia Kopf. A exposição, que decorre no âmbito do projeto Reação em Cadeia, e que conta com a curadoria de Bruno Marchand, vai estar patente até 20 de novembro no Espaço Fidelidade Arte (Largo do Chiado 8, em Lisboa), com entrada gratuita.

Partindo das leis da atração dos corpos celestes e da sua possível analogia no campo das relações humanas, a exposição “Speculative Intimacy” que Alicia Kopf traz ao ciclo Reação em Cadeia traça um diagnóstico das novas formas de intimidade na era das tecnologias digitais e da inteligência artificial. Mais concretamente, os vídeos, desenhos e textos reunidos nesta exposição constroem entre si um duplo movimento. Por um lado, eles procuram nos mais recentes desenvolvimentos da cosmologia e da física quântica vislumbres de uma lei cabal do comportamento dos corpos: uma lei tão completa que explicasse a mecânica daquilo que nos impele para um Outro, que chegasse a revelar, por fim, a natureza dessa energia peculiar a que chamamos amor. Por outro lado, estas obras colocam-nos frente à virtualização que as novas tecnologias prometem impor às formas e às vivências desse mesmo amor: o ecrã do telemóvel como reduto sensual dos contactos interpessoais, a miragem do prazer à distância de um clique, o isolamento paradoxal da ultraconetividade, a sedução transcrita na forma de um algoritmo.

A artista plástica e escritora Alicia Kopf entrou nos circuitos culturais, em 2016, com o romance Irmão de Gelo, que se diferenciou por prescindir de uma estrutura narrativa convencional e por incluir outros elementos que não apenas o texto do enredo. Imagens, desenhos, diagramas ou mapas convivem na obra com mensagens de WhatsApp, excertos de artigos científicos ou informações captadas online, revelando um processo criativo onde investigações multiformes alimentam reflexões que geram sentidos, e sentidos que geram obra. A par dos livros, as investigações da artista produzem também outros tipos de objetos – desenhos, fotografias, vídeos – que funcionam como declinações do mesmo impulso que a leva à escrita. Uma vez dispostos num espaço, estes objetos compõem teias de relações sensíveis a que nos habituámos a chamar de exposições. Aquela que Alicia Kopf traz ao ciclo Reação em Cadeia prolonga o seu interesse pelos temas da conquista e da comunicação, desta feita com a tónica na progressiva digitalização das nossas vivências da intimidade, da partilha e do amor.

Comissariada por Bruno Marchand, que assumiu funções de programador de artes visuais na Culturgest em março de 2020 e, por inerência, a curadoria deste ciclo, “Speculative Intimacy” é a quinta exposição do ciclo Reação em Cadeia, que resulta da colaboração entre a Fidelidade Arte e a Culturgest. A proposta consiste em implicar os artistas na seleção dos seus pares, que irão suceder‑lhes no espaço da Fidelidade Arte, em Lisboa (primeiro), e da Culturgest Porto (em seguida). A Alicia Kopf seguir-se-á uma exposição do projeto português Las Palmas, a inaugurar em dezembro deste ano.

Cada ano conta com intervenções de três artistas, que conhecem diferentes declinações em cada espaço, nomeadamente com a presença de obras diferentes, resultado de profundas adaptações dos projetos à diferente natureza das duas galerias. Serão publicados três livros, um por cada ano do ciclo, que compilarão a memória dos projetos apresentados, com extensa documentação sobre o seu desenvolvimento.



:::


Alicia Kopf (Girona, 1982) vive e trabalha em Barcelona e é formada em Belas Artes e em Literatura Comparada. Enquanto artista visual recebeu o prémio GAC / DKV, em 2014, pela melhor exposição individual do ano de um artista jovem, com Seal Sounds Under the Floor (Galeria Joan Prats, Barcelona). O seu romance Irmão de Gelo (Alfaguara Portugal, 2018) recebeu os prémios Documenta 2015 e Llibreter 2016, assim como El Ojo Crítico de RNE (Rádio Nacional de Espanha) e Cálamo Otra Mirada, em 2017. O livro foi traduzido para dez línguas.