Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Ventriloquismo


VERA MOTA
Galeria Bruno Múrias, Lisboa

The Next Shift


Anna Hulačová
Galeria Pedro Cera, Lisboa

Sob o peso frágil da pálida abóbada


COLECTIVA
Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, Ribeira Grande - Açores

OBJETO INFINITO OU UM BEM MAIOR. Primeiro conjunto de dúvidas.


Alexandre A. R. Costa
ARTLAB24 Contemporary Art, Espinho

Ciclo de Exposições e Conversas


Ana Vidigal, Luís Paulo Costa e Exposição Documental
Vários locais / Águeda, Águeda

Que horas são que horas, uma galeria de histórias


COLECTIVA
Galeria Municipal do Porto, Porto

ABOUT TODAY


João Louro
Zet Gallery, Braga

Cortelho


Daniel Moreira e Rita Castro Neves
Sput&Nik the window, Porto

Um esqueleto entra no bar...


Paulo Lisboa
Fundação Leal Rios, Lisboa

Surender, Surender


NIKOLAI NEKH
Balcony, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


COLECTIVA

Sob o peso frágil da pálida abóbada




ARQUIPÉLAGO - CENTRO DE ARTES CONTEMPORÂNEAS
Rua Adolfo Coutinho de Medeiros, s/n
9600-516 SÃO MIGUEL, AÇORES

20 FEV - 30 MAI 2021


Sob o peso frágil da pálida abóbada
Colectiva com obras de Carolina Rocha, Daniel Oliveira, Graça Costa Cabral, Miguel Leal, Noémia Cruz e Rui Chafes


A Direção Regional da Cultura através do Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas irá acolher a exposição “Sob o peso frágil Da pálida abóbada”, com obras da coleção deste Centro, propondo novas possibilidades de exposição e de cruzamento que permitam ao público conhecer o espólio de arte contemporânea que o Governo Regional dos Açores tem reunido nos últimos anos.

As caves do arquipélago são um espaço singular no contexto museológico português e servem de palco para um olhar e um mapear da presença da escultura nesta coleção de Arte Contemporânea.

“Pensar uma exposição é pensar também no espaço que a alberga e as caves do Arquipélago são especiais, estão muito longe da ideia do white cube (o espaço normalmente criado para se mostrar arte) e, como tal as peças selecionadas, de artistas nacionais – Carolina Rocha, Daniel Oliveira, Graça Costa Cabral, Miguel Leal, Noémia Cruz e Rui Chafes e de várias geografias, são elas próprias convites para viagens pela subjetividade artística. Mais do que uma exposição temática sobre a coleção interessa-nos abrir ao máximo essas leituras. Mais do que construir uma narrativa interessa-nos que seja o visitante a criar a sua própria história.”