Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA



Outras recomendações:

Exercícios de Comunicação Poética com Outros Operadores Estéticos


Ernesto de Sousa
Vários locais/Lisboa, Lisboa

Sarkis


Cláudio Garrudo
Galeria das Salgadeiras (Atalaia), Lisboa

FPM#3 – Da construção ao imaginário


COLECTIVA
Fundação PLMJ, Lisboa

NOVA GENTE


Musa Paradisíaca
Galeria Quadrado Azul (Novo espaço em Lisboa), Lisboa

A NATUREZA EM MOVIMENTO


Alberto Carneiro
Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso, Santo Tirso

ARRÁBIDA BOUND


Miguel Palma, Luís Palma
.insofar art gallery, Lisboa

ARQUEÓLOGAS DO AFECTO


Erica Maluguinto, Hariel Revignet, Kika Carvalho, Mariana Rodrigues, Rosana Paulino
Bruno Múrias,

WE LOVE UGO RONDINONE


São José Correia
Plataforma Revólver, Lisboa

SAUDADES


Paula Rego
Galeria 111, Lisboa

1189 - 2021 : COMMENTARIUM IN APOCALYPSIN


Magda Delgado, Pedro Pascoinho
No.No, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


MAGDA DELGADO, PEDRO PASCOINHO

1189 - 2021 : COMMENTARIUM IN APOCALYPSIN




NO.NO
Rua de Santo António à Estrela 39A
1350-291 LISBOA

11 NOV - 15 JAN 2022


Inauguração: 11 de novembro 2021, 18h - 10h



"Quer seja olhado de forma profética ou simbólica, de forma alucinatória ou terapêutica, o Apocalipse e as grandes revelações encontram-se em linha com os nossos tempos. Dizem-nos respeito na nossa actualidade e é aqui que residem a força e a relevância deste encontro entre os desenhos negros de Pascoinho no papel e a tinta acrílica colorida sobre tela de linho cru de Delgado. Fundindo-se com a peça musical imersiva que co-criaram, as complementaridades e oposições visuais dinâmicas em jogo são enfatizadas pelos sons e tonalidades sucessivamente sombrios e luminosos. A teia de padrões geométricos, proporções matemáticas e planos cromáticos vibrantes traz abertura e expansão às associações Warburgianas de símbolos, fragmentos e impressões mnemónicas. A justaposição contrastada de motivos figurativos escuros e melancólicos com pinturas abstractas luminescentes onde dominam as cores primárias emprega uma espécie de Axis Mundi que liga o céu e a terra, os domínios subterrâneos e celestiais, as contingências e necessidades, tormentos e aspirações, a génese e o fim dos tempos."

Katherine Sirois (Commentarium in Apocalypsin, excerto)