Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

WIND DREAMS


Joana Escoval
Galeria Vera Cortês, Lisboa

CAIU


Corpo Atelier, Fala Atelier e Nuno M. Sousa
GAMA RAMA Gallery, Faro

O Nu e a Madeira


Daniel Dewar & Grégory Gicquel
Culturgest, Lisboa

Lisboa Clichê


Daniel Blaufuks
Museu de Lisboa - Palácio Pimenta, Lisboa

Estar em P


Sara Chang Yan
Madragoa, Lisboa

Um Mês Acordado


Alexandre Estrela
ZDB - Galeria Zé dos Bois, Lisboa

LUVAS BRANCAS


Pedro Valdez Cardoso
Galeria Fernando Santos (Porto), Porto

O único espectáculo é o da espera


Tiago Baptista
3 + 1 Arte Contemporânea, Lisboa

PEQUENOS FOGOS


José Leonilson / Tomás Cunha Ferreira
Brotéria, Lisboa

A GUERRA GUARDADA


Maria José Lobo Antunes / Inês Ponte
Museu do Aljube, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


MARIA CONDADO

O SONO DE DEBUSSY




CARLOS CARVALHO ARTE CONTEMPORÂNEA
R. Joly Braga Santos, Lote F – R/c
1600-123 LISBOA

18 DEZ - 05 MAR 2022


Inauguração: 18 de Dezembro, das 17h às 19h30, na galeria Carlos Carvalho, em Lisboa



O SONO DE DEBUSSY


:::


Para esta primeira exposição individual na galeria Carlos Carvalho, Maria Condado explora narrativas visuais e cenários oníricos que surgem a partir do contacto e experiência fugaz com a natureza assim como com a literatura e a música, particularmente neste caso com certos ambientes sonoros da passagem do séc. XIX para o séc. XX. Neste novo conjunto de trabalhos da artista destacam-se as atmosferas aquáticas - também projectadas nas composições de Debussy de que a peça La Mer é exemplo - pela ausência do traço ou do claro-escuro que mergulha o espectador num impulso firme de manchas diferenciadas, de texturas e de cores. É este efeito de imersão que a artista procura criar com o uso do gesto de pinceladas amplas e de composição aberta onde o movimento se mostra como elemento crucial da percepção e experiência humana.


Maria Condado (Lisboa, Portugal, 1981) tem apresentado amplamente o seu trabalho no contexto nacional destacando-se a sua presença nas exposições "Bienal de Coimbra Anozero’19", "A Play of Boundaries" (Galeria Carlos Carvalho, Lisboa, 2018), "Uma loja, cinco casas, uma escola" (Casa Bernardo, Caldas da Rainha, 2016), "Ensaios sobre a (in)flexibilidade do natural – parte 2" (Ministério do Ambiente, Lisboa, 2014), "Onde é a China?" (Museu do Oriente, Lisboa, 2016), "16º Programa de Exposições" (Carpe Diem Arte e Pesquisa 2009), "Hangart 7” (Salzburg, Áustria, 2009), “ estígio" (Pavilhão 28, Hospital Júlio de Matos, Lisboa, 2005), "Selecionados II Prémio de Pintura do Banco Rothschild – Palácio das Galveias", Lisboa. Está presente em diversas colecções tais como Fundação PLMJ, Lisboa Grupo RAR, Porto e coleções privadas em Portugal, França e Áustria.“Hortus” é o seu livro de artista editado em 2016 pela Stolen Books Editora, Lisboa.