Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

WIND DREAMS


Joana Escoval
Galeria Vera Cortês, Lisboa

CAIU


Corpo Atelier, Fala Atelier e Nuno M. Sousa
GAMA RAMA Gallery, Faro

O Nu e a Madeira


Daniel Dewar & Grégory Gicquel
Culturgest, Lisboa

Lisboa Clichê


Daniel Blaufuks
Museu de Lisboa - Palácio Pimenta, Lisboa

Estar em P


Sara Chang Yan
Madragoa, Lisboa

Um Mês Acordado


Alexandre Estrela
ZDB - Galeria Zé dos Bois, Lisboa

LUVAS BRANCAS


Pedro Valdez Cardoso
Galeria Fernando Santos (Porto), Porto

O único espectáculo é o da espera


Tiago Baptista
3 + 1 Arte Contemporânea, Lisboa

PEQUENOS FOGOS


José Leonilson / Tomás Cunha Ferreira
Brotéria, Lisboa

A GUERRA GUARDADA


Maria José Lobo Antunes / Inês Ponte
Museu do Aljube, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


MARIA JOSÉ LOBO ANTUNES / INÊS PONTE

A GUERRA GUARDADA




MUSEU DO ALJUBE
R. Augusto Rosa 42
1100-091

13 JAN - 20 MAR 2022


Inauguração: de 13 Janeiro, das 16h às 18h, no no 4º piso do Museu do Aljube Resistência e Liberdade, com a presença das curadoras



:::


A Guerra Guardada: fotografia de soldados portugueses em Angola, Guiné-Bissau e Moçambique (1961-74)

A Guerra Guardada explora coleções pessoais de homens que em tempos foram soldados. A maioria foi recolhida através de entrevistas presenciais no quadro de uma investigação etnográfica em curso no ICS-ULisboa. As restantes estão publicadas em diversos sítios e arquivos da internet. Dispersas um pouco por todo o país, retratam um tempo e um espaço distantes, e mostram uma guerra vivida mas também imaginada. Banais ou extraordinárias, revelam os muitos mundos de uma guerra longa e anacrónica que foi mandada combater pela ditadura. Que possam provocar diálogos em democracia.

Maria José Lobo Antunes e Inês Ponte
Curadoras


:::


Programação associada à Exposição

Duas sessões de cinema propõem um breve panorama da multiplicidade de abordagens cinematográficas à guerra colonial portuguesa. Na primeira, um documentário dá acesso a memórias de quem em Angola esteve do outro lado da guerra que a exposição Guerra Guardada aborda.


Independência (105’)
Mário Bastos, 2016

28 de janeiro, 15h30, Auditório

Depois de mais de 40 anos, este documentário procura revelar e encontrar o passado em mapas, fotos, documentos, jornais, cartas e, acima de tudo, em memórias ainda vivas. O seu ponto de vista é o da geração que participou na luta de libertação de Angola, e que partilha connosco as suas memórias. Com os pés bem assentes no presente, este filme de produção angolana olha para trás e pergunta-se "Que memória resta da nossa luta?"

Entrada livre.
Reserva de lugar para inscricoes@museudoaljube.pt