Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

18 Maio 2022


COLECTIVA
3 + 1 Arte Contemporânea, Lisboa

gravitas


Colectiva
Fundação Leal Rios, Lisboa

Fénix


COLECTIVA
Galeria Graça Brandão (Lisboa), Lisboa

Abstracto, Branco, Tóxico e Volátil


Julião Sarmento
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Cambio de Piel


Sandra Vásquez de la Horra
Galeria da Casa A. Molder, Lisboa

David Douard: O’Ti’Lulabies


David Douard
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Back of My Hand


Colectiva
Carpintarias de São Lázaro, Lisboa

Sobre o céu não sabemos nada


COLECTIVA
Observatório Astronómico Prof. Manuel de Barros, Vila Nova de Gaia

Voz multiplicada


Vários
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

Poly-Free


João Pimenta Gomes
MAAT, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


SANDRA VÁSQUEZ DE LA HORRA

Cambio de Piel




GALERIA DA CASA A. MOLDER
Loja de Filatelia A. Molder\r\nRua 1º de Dezembro nº 101- 3º
1200-358 LISBOA

12 MAI - 29 JUL 2022


INAUGURAÇÃO 12 de Maio, entre as 15h30 e as 19h00 na Galeria da Casa A. Molder


Exposição individual



:::


Cambio de Piel [Mudar de Pele] é o título da exposição que Sandra Vásquez de la Horra (1967) concebeu para a Galeria da Casa A. Molder. Esta é também a décima e última exposição da primeira parte do projecto, que começou em Novembro de 2020.
Cambio de Piel é um conjunto de catorze desenhos da colecção particular da artista, que os reuniu para esta exposição e que poderemos ver com a grande intimidade que o espaço da Galeria permite.
Desenhos como Santa Muerte, Aguas Profundas, Señorita Amordazada, El ideal de una Cavalera, El Señor Ciervo, Ex-Votos, presentes nesta exposição, são trabalhos históricos de Sandra Vásquez de la Horra, nascida em Viña del Mar, no Chile, e que vive há muitos anos em Berlim.
O mundo desta artista é o do desenho e dos seus instrumentos: o papel, o traço, a grafite e a cera, utilizados na maioria dos seus trabalhos. Através deles, as suas mãos mostram-nos um grande mundo, tão contemporâneo e tão antigo como a história do ser humano.
Na maior parte femininas, as figuras nos seus desenhos mostram-nos que não só o que está dentro do corpo, os nossos limites e medos é algo que temos em comum, mas também os mitos e as histórias ligadas à religião. O corpo é finito e a morte é certa. Porém, é sempre com grande sentido de humor e de uma forma profundamente poética (e por vezes romântica) que de la Horra nos mostra como as maiores injustiças, os limites e as incertezas da vida humana, podem ser também a nossa estrutura e a nossa força.
A obra de Sandra Vásquez de la Horra é também o resultado dum encontro geográfico e cultural entre a América do Sul e a Europa, que se traduz nos seus trabalhos pelo poder magnético e quase esotérico que estas figuras têm sobre nós, como podemos ver em La Dama del Castillo Encantado e em Santa Muerte, entre outros.Para reconhecermos os mundos distantes que se encontram à frente dos nossos olhos contribui a maneira como a artista faz as montagens das suas exposições, criando ligações entre trabalhos, realçando tamanhos, figuras e temas duma forma quase serpenteante. Estes desenhos vão engolir-nos, como é engolida a figura do desenho em Anaconda, mas também nos vão fazer rir e sonhar, como as figura de El Señor Ciervo ou Aguas Profundas.
Talvez aquilo que mais tememos seja também aquilo por que mais ansiamos, uma das evidências com as quais somos confrontados ao vermos estes desenhos de vários formatos (grande, médio e pequeno) em Cambio de Piel.