Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

PARÓDIA CEGA


Emma Moro, Francisco Menezes, Léna Lewis-King e Vasco Barata
Museu Bordalo Pinheiro, Lisboa

Coco Chanel, além da moda


Gabrielle Chanel
Centro Cultural de Cascais, Cascais

Teínas, Ossos e Outras Iguarias desenhos


Sandra Macieira
Tinta nos Nervos, Lisboa

REVOLUÇÕES (1960-1975)


Júlio Pomar
Atelier-Museu Júlio Pomar, Lisboa

Casa Vale Ferreira


João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira
Casa de Serralves, Porto

os dias estão numerados


Daniel Blaufuks
MAAT, Lisboa

Kubik Comporta Coletiva


COLECTIVA
Kubikgallery, Porto

The touching of the wound


COLECTIVA
DUPLACENA 77, Lisboa

Portugal Ano Zero: livros de fotografia da revolução


COLECTIVA
Centro de Arte Oliva, S. João da Madeira

ÀS ESCURAS


Rosa Carvalho
Museu Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ROGER PAULINO

A couve e o plano das coisas




AR.CO CENTRO DE ARTE E COMUNICAçãO VISUAL (XABREGAS)
Antigo Mercado de Xabregas Rua Gualdim Pais
1900-255 LISBOA

02 JUN - 15 SET 2023


INAUGURAÇÃO: 1 de Junho às 18h00 no Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual

Curadoria:
Miguel von Hafe Pérez
Apoio: Fundação Ilídio Pinho


:::


"Na exposição "A Couve e o Plano das Coisas", Roger Paulino sublinha a putativa independência da sua arte dos discursos predominantes – emergências climáticas, questões de género ou discussões pós-coloniais -; no entanto, a vida na sua complexidade existencial é respirada em cor e forma. Mesas, écrans, mãos, pássaros, couves e abstrações convivem num caldo hipnótico que ancoram esta prática num patamar idiossincrático verdadeiramente singular num contexto de previsibilidade e tédio crescentes. E, como tal, abarca todas as apreensões contemporâneas com um gesto de verdade, como o autor gosta de referir."

Miguel von Hafe Pérez