Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Do Labirinto ósseo do homem ao eixo do Rochedo


Marcelo Moscheta
Museu de História Natural e da Ciência, Lisboa

ANAGRAMAS IMPROVÁVEIS. OBRAS DA COLEÇÃO DE SERRALVES. & C.A.S.A. COLEÇÃO ÁLVARO SIZA, ARQUIVO


COLECTIVA
Ala Álvaro Siza, Porto

Terra Estreita


COLECTIVA
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

a pele da água


Pedro Tudela e Zés Pereiras
VNBM – arte contemporânea, Viseu

QUID


Isabel Sabino
Centro Cultural de Cascais, Cascais

Álbum de Família


COLECTIVA
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

Mirror Drumming


João Biscainho
Appleton Square , Lisboa

Double Jeu


André Cepeda
Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa

Cores Vistas de Dentro para Fora


COLECTIVA
Fundação Gramaxo, Maia

Exposições dos 60 anos da Galeria 111


COLECTIVA
Galeria 111 (Lisboa), Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ANDRÉ CEPEDA

Double Jeu




CRISTINA GUERRA CONTEMPORARY ART
Rua Santo António à Estrela, 33
1350-291 LISBOA

30 JAN - 09 MAR 2024


INAUGURAÇÃO: 30 de Janeiro na Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa


:::


Esta que será a mais recente exposição do artista na galeria desde 2017 com a exposição Rasgo, conta com 5 obras inéditas em grande formato, de 2,40 para 3 metros.

A nova série de trabalhos Double Jeu explora a dupla representação tanto pela sua forma como pelo seu conteúdo. É desta forma que a obra de Cepeda convida o espectador a fazer parte do espaço, expondo duas realidades à quais somos obrigados a pertencer.

Double Jeu expõe também uma obra, resultado de uma parceria com arquitecto João Luís Carrilho da Graça. A exposição conta com a colaboração curatorial de Joerg Bader, diretor do Centre de la Photographie de Genebra; e o texto de sala Inadequações de Christiane Vollaire, investigadora em filosofia política e estética.

(…) a obra suscita uma preocupação genuína com a duplicação da modernidade matemática e da modernidade social, com todas as suas falhas, fissuras e choques, com todos os seus vestígios e sequelas. E o rigor das imagens ajuda a evitar a complacência com a ruína ou o voyeurismo miserabilista. - Christiane Vollaire, Inadequações