Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA



Outras recomendações:

AS PALAVRAS EM LIBERDADE — E.M. DE MELO E CASTRO: O ARTISTA E A SUA COLEÇÃO


COLECTIVA
Fundação de Serralves, Porto

Aquisições. Núcleo de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Lisboa


COLECTIVA
Galerias Municipais de Lisboa - Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Lisboa

New Age Kids


Pauliana Valente Pimentel
Galeria Diferença, Lisboa

A Moeda Viva


COLECTIVA
Galerias Municipais - Galeria Quadrum, Lisboa

JÚLIA VENTURA 1975-1983


Júlia Ventura
Culturgest, Lisboa

Problemas do Primitivismo – a partir de Portugal


COLECTIVA
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

ANARCHIVAL FRAMES


COLECTIVA
DUPLACENA 77, Lisboa

11 Livros para 11 Artistas


COLECTIVA
Biblioteca de Alcântara, Lisboa

Acts of Transformation


FUTURA e REVOK
Galeria Underdogs, Lisboa

Nosso Barco Tambor Terra


Ernesto Neto
MAAT, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


INGEBORG LIPPMANN E PETER COLLIS

Ventos de Liberdade. A Revolução de Abril pelo olhar de Ingeborg Lippmann e Peter Collis




MUSEU DO ORIENTE
Largo Vitorino Damásio, 4


17 ABR - 19 MAI 2024


INAUGURAÇÃO: 17 de Abril no Museu do Oriente, Lisboa

Comissariada por Fátima Lopes Cardoso e Pedro Marques Gomes



:::


Na madrugada de 25 de Abril de 1974, militares vindos de diversos regimentos rumaram em direcção ao Terreiro do Paço para cumprir uma das mais belas histórias que existe na memória do país: acabar com 48 anos de ditadura e instituir a democracia em Portugal.

A exposição Ventos de Liberdade. A Revolução de Abril pelo olhar de Ingeborg Lippmann e Peter Collis revela imagens inéditas de dois fotojornalistas estrangeiros que acompanharam o pulsar daqueles tempos.

Ao serviço do The Times, o britânico Peter Collis realizou a cobertura de diversos acontecimentos da vida política portuguesa e colaborou com a prestigiada revista americana Time. Na altura, a fotojornalista alemã Ingeborg Lippmann já se encontrava a viver em Portugal, onde era correspondente do jornal The New York Times. Mais do que a Revolução, interessava-lhe as revoluções que Abril tornaria possíveis.

Peter Collis congela fotograficamente um país em transe. Os portugueses, que tinham sido aconselhados a não saírem de casa, ignoraram as ordens para gritarem ao mundo que a Revolução também lhes pertencia. A câmara de Peter Collis capta também os principais protagonistas da cena política da época.

Ingeborg Lippmann regista a paisagem humana no Alentejo, no contexto da Reforma Agrária; fotografa as cidades; retrata o país rural, demonstrando que a sua obra surge de alguém que, apesar da nacionalidade alemã e de ter vivido nos Estados Unidos, já conhecia e se interessava pela cultura portuguesa. E sempre com a objectiva mais focada nas mulheres.

Estas fotografias foram depositadas na Fundação Mário Soares e Maria Barroso, que organizou e preservou o arquivo dos dois fotojornalistas, que é agora revelado.

Quando se comemora os 50 anos do 25 de Abril, a exposição Ventos de liberdade. A Revolução de Abril pelo olhar de Ingeborg Lippmann e Peter Collis, comissariada por Fátima Lopes Cardoso e Pedro Marques Gomes, apresenta dois olhares únicos sobre os momentos da Revolução e retratos de um país que Abril transformou profundamente.

Co-organização Fundação Mário Soares e Maria Barroso | Apoio Universidade Lusófona – Departamento de Cinema e Artes dos Media – Licenciatura e Mestrado em Fotografia; Escola Superior de Comunicação Social do Instituto Politécnico de Lisboa

Foto: © Manifestação do Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado (MRPP) no Rossio, em Lisboa, 1974 | Fundação Mário Soares e Maria Barroso / Peter Collis