Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

AS PALAVRAS EM LIBERDADE — E.M. DE MELO E CASTRO: O ARTISTA E A SUA COLEÇÃO


COLECTIVA
Fundação de Serralves, Porto

Aquisições. Núcleo de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Lisboa


COLECTIVA
Galerias Municipais de Lisboa - Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Lisboa

New Age Kids


Pauliana Valente Pimentel
Galeria Diferença, Lisboa

A Moeda Viva


COLECTIVA
Galerias Municipais - Galeria Quadrum, Lisboa

JÚLIA VENTURA 1975-1983


Júlia Ventura
Culturgest, Lisboa

Problemas do Primitivismo – a partir de Portugal


COLECTIVA
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

ANARCHIVAL FRAMES


COLECTIVA
DUPLACENA 77, Lisboa

11 Livros para 11 Artistas


COLECTIVA
Biblioteca de Alcântara, Lisboa

Acts of Transformation


FUTURA e REVOK
Galeria Underdogs, Lisboa

Nosso Barco Tambor Terra


Ernesto Neto
MAAT, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


ANDRÉ MARANHA, FRANCISCO TROPA, JORGE QUEIROZ, PEDRO MORAIS

Três Moscas




MAAT
Av. de Brasília, Central Tejo
1300-598 LISBOA

24 ABR - 01 JUL 2024


INAUGURAÇÃO: 23 de Abril entre as 18h00 e as 21h00 na MAAT Gallery, Lisboa

Curadoria: Sérgio Mah



:::


Três Moscas é uma obra concebida por quatro artistas que há muito partilham cumplicidades pessoais e criativas: André Maranha (1966), Francisco Tropa (1968), Jorge Queiroz (1966) e Pedro Morais (1944–2018). O projeto abrange uma instalação coletiva que inclui esculturas, pinturas, motores, objetos, espelhos, luz, água e ações performativas. Pensado como um dispositivo de acontecimentos, ou simplesmente como um teatro em miniatura, Três Moscas é uma construção fortemente inspirada em Impressions d'Afrique, do escritor francês Raymond Roussel (1877–1933), romance publicado em 1910 que teve uma assinalável influência na história da arte, nomeadamente em Marcel Duchamp e na sua obra seminal Le Grand Verre (1915).

Além da instalação, o projeto integra o retábulo dos Bonecos de Santo Aleixo, relíquia de um teatro de marionetas de matriz popular alentejana. Estas figuras de rostos idênticos e olhos arregalados, animadas de forma rudimentar por uma vareta fixada na cabeça, corporizam as figuras necessárias à representação de textos de tradição oral inspirados em narrativas bíblicas onde cabem improvisações cómicas e apartes burlescos destinados a estabelecer uma relação direta e duplicada com o público, assente no riso e na catarse. Ao longo da exposição, atores do Centro Dramático de Évora (CENDREV) representam o Auto da Criação do Mundo em cinco espetáculos.

Cruzando referências da cultura popular e da cultura literária e artística, Três Moscas explora parâmetros fundacionais da criação artística na sua relação com mundo e suas possíveis imagens, mas também com a linguagem e a teatralidade da obra de arte.