Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

AS PALAVRAS EM LIBERDADE — E.M. DE MELO E CASTRO: O ARTISTA E A SUA COLEÇÃO


COLECTIVA
Fundação de Serralves, Porto

Aquisições. Núcleo de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Lisboa


COLECTIVA
Galerias Municipais de Lisboa - Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Lisboa

New Age Kids


Pauliana Valente Pimentel
Galeria Diferença, Lisboa

A Moeda Viva


COLECTIVA
Galerias Municipais - Galeria Quadrum, Lisboa

JÚLIA VENTURA 1975-1983


Júlia Ventura
Culturgest, Lisboa

Problemas do Primitivismo – a partir de Portugal


COLECTIVA
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

ANARCHIVAL FRAMES


COLECTIVA
DUPLACENA 77, Lisboa

11 Livros para 11 Artistas


COLECTIVA
Biblioteca de Alcântara, Lisboa

Acts of Transformation


FUTURA e REVOK
Galeria Underdogs, Lisboa

Nosso Barco Tambor Terra


Ernesto Neto
MAAT, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


SID IANDOVKA & ANYA TSYRLINA COM LESLIE THORNTON & THOMAS ZUMMER

once in a hundred years




LUMIAR CITÉ - MAUMAUS
Rua Tomás del Negro, 8A
1750-105 LISBOA

27 ABR - 28 JUL 2024


INAUGURAÇÃO: 27 de Abril às 17h00 na Lumiar Cité, Lisboa


:::


once in a hundred years reúne obras de Sid Iandovka e Anya Tsyrlina e de Leslie Thornton e Thomas Zummer. A obra de Iandovka e Tsyrlina (ambos nascidos na antiga União Soviética) incorpora e desmonta tecnologias e formas numa meditação peculiar sobre o absurdo e o sublime que percorrem os recantos escuros da consciência, da memória, da história e da humanidade. Thornton e Zummer são artistas norte-americanos, sendo a primeira reconhecida pelo papel pioneiro na exploração artística dos novos media, enquanto o segundo é escritor e artista com uma prática em torno de uma arte conceptual que não ignora a significância dos materiais e da materialidade.

once in a hundred years reúne obras históricas e outras novas, incluindo uma nova colaboração entre Iandovka e Thornton, que exploram, entre outras coisas, as surpreendentes afinidades artísticas que os artistas sentiram aquando do seu inesperado encontro recente. A exposição desenvolve-se em torno de um novo trabalho epónimo de Iandovka e Tsyrlina – uma experiência ambiciosa de um fluxo lento em que o trabalho opera dentro dos seus próprios termos, instável e estranho, livre das ordens familiares da perceção mediada.

Com uma instabilidade disfarçada de história, once in a hundred years evoca um conto pós- punk reimaginado, um "espaço de histórias" em que a forma narrativa se desdobra em cantos efémeros, numa eulogia ao presente vivo, como um sinal num deserto inquietante.

Enquanto projeto conjunto entre Lumiar Cité e Kunsthalle Friart Fribourg (Suíça), once in a hundred years também explora as profundas diferenças entre as condições históricas e arquitetónicas das duas instituições.


:::


Anya Tsyrlina e Sid Iandovka (nascidos em Novosibirks, antiga União Soviética) conheceram-se na adolescência enquanto membros de uma banda de noise. Desde então, têm colaborado de forma intermitente, apesar de raramente se reunirem no mesmo espaço ou no mesmo continente. A sua prática ocorre na condição de apátridas, não identificados com uma comunidade, uma identidade e um contexto específico. Da mesma forma, os seus métodos de trabalho não são o produto de instituições educativas ou profissionais e não consideram relevante encontrar um enquadramento teórico para a sua obra.

Leslie Thornton (EUA) possui um corpo de trabalho que se estende por quase cinquenta anos e faz a ponte entre as práticas e as tecnologias do cinema e dos media contemporâneos. A sua obra foi apresentada em eventos, museus e outros espaços, incluindo: MoMA (Nova Iorque), MoMA PS1 (Nova Iorque), Whitney Biennial (Nova Iorque), documenta (Kassel), Centre Pompidou (Paris), Raven Row (Londres) e CAPC Musée d'art Contemporain de Bordeaux. Entre as retrospetivas do seu trabalho, destacam-se: Anthology Film Archives (Nova Iorque), Brooklyn Academy of Music (BAM) e MIT List Visual Arts Center (Cambridge, EUA). Thornton foi distinguida com inúmeros prémios e bolsas, incluindo: Maya Deren Award for Lifetime Achievement, Alpert Award in the Arts for Media, Guggenheim Fellowship e Rockefeller Fellowship. Entre as suas residências artísticas recentes, destacam-se: CERN (Meyrin, Suíça) e Caltech (Pasadena, EUA). Leslie Thornton é professora emérita da Brown University (Providence, EUA).

Thomas Zummer (EUA) trabalha como académico, escritor, artista e curador, sendo o seu trabalho inspirado pela fluidez com que atravessa as fronteiras desses domínios. Zummer estudou com Jacques Derrida, Reiner Schürmann, Paul de Man e Michel Foucault, de quem foi assistente de investigação. Entre as instituições e espaços onde apresentou o seu trabalho, destacam-se: Drawing Room (Londres), Fundació Antoni Tàpies (Barcelona), Kunsthal Extra City (Antuérpia) e WhiteBox (Nova Iorque). No campo da curadoria, destacam-se as seguintes instituições e espaços: Wexner Center for the Arts (Columbus), Thread Waxing Space (Nova Iorque), Katonah Museum of Art (Nova Iorque), Anthology Film Archives (Nova Iorque) e Palais des Beaux-Arts (Bruxelas).