Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

PARÓDIA CEGA


Emma Moro, Francisco Menezes, Léna Lewis-King e Vasco Barata
Museu Bordalo Pinheiro, Lisboa

Coco Chanel, além da moda


Gabrielle Chanel
Centro Cultural de Cascais, Cascais

Teínas, Ossos e Outras Iguarias desenhos


Sandra Macieira
Tinta nos Nervos, Lisboa

REVOLUÇÕES (1960-1975)


Júlio Pomar
Atelier-Museu Júlio Pomar, Lisboa

Casa Vale Ferreira


João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira
Casa de Serralves, Porto

os dias estão numerados


Daniel Blaufuks
MAAT, Lisboa

Kubik Comporta Coletiva


COLECTIVA
Kubikgallery, Porto

The touching of the wound


COLECTIVA
DUPLACENA 77, Lisboa

Portugal Ano Zero: livros de fotografia da revolução


COLECTIVA
Centro de Arte Oliva, S. João da Madeira

ÀS ESCURAS


Rosa Carvalho
Museu Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de exposições é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando as mostras. Envie-nos informação (Press-Release e imagem) das próximas inaugurações. Seleccionamos três exposições periodicamente, divulgando-as junto dos nossos leitores.

 


COLECTIVA

Portugal Ano Zero: livros de fotografia da revolução




CENTRO DE ARTE OLIVA
Oliva Creative Factory\r\nRua da Fundição, 240
3700-119 S. JOãO DA MADEIRA

28 JUN - 15 SET 2024


INAUGURAÇÃO: 28 de Junho às 19h00 no Centro de Arte Oliva, São João da Madeira

Curadoria: José Luís Neves, Luís Pinto Nunes e Susana Lourenço Marques



:::


“Portugal Ano Zero: livros de fotografia da revolução” é uma exposição com curadoria de José Luís Neves, Luís Pinto Nunes e Susana Lourenço Marques, que reúne uma extensa selecção de livros de fotografia com trabalho de fotógrafos portugueses e estrangeiros e mostra a efervescente prática editorial que se desenvolveu no pós 25 de Abril de 1974.

O núcleo central da exposição é composto por livros que percorrem a revolução em curso, as movimentações contra-revolucionárias que emergiram durante este período, a documentação das práticas de arte de rua e protesto, o processo da reforma agrária e o papel da mulher. É ainda dada especial atenção aos fotógrafos internacionais, que visitaram o País neste período como Jochen Moll, Guy Le Querrec, Tano D’Amico ou Jason Lauré.

A este conjunto de imagens da segunda metade do século XX, juntam-se obras de autores portugueses que desenvolvem o seu trabalho a partir da seleção de livros expostos, como a obra de Pedro Augusto a partir de Uma Certa Maneira de Cantar (1977), Dinis Santos sobre as Casas Clandestinas (1994) do PCP, a obra de Tiago Madaleno, a partir de White wall in Alentejo (BBC, 1977) ou a iteração da obra de Lisa Santos Silva, A cabra não é cega (1976).

«Portugal Ano Zero» é um dos 45 projetos apoiados pelo programa «Arte pela Democracia», uma iniciativa da Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril em parceria com a Direção-Geral das Artes.


:::


José Luís Neves Professor de história e teoria da fotografia nas universidades de Northampton e Ulster no Reino Unido. Completou o seu mestrado em História da Fotografia pela Universidade De Montfort e terminou o seu doutoramento na Universidade de Ulster em 2017 onde desenvolveu uma ampla investigação académica sobre a história e historiografia do livro de fotografia. Iniciou a sua prática de curadoria no Wilson Centre for Photography em 2010 e tem desde então comissariado várias exposições sobre o livro de fotografia em colaboração com o festival Photobook Week Aarhus na Dinamarca. Participa regularmente em conferências e festivais europeus dedicados à fotografia e ao livro de fotografia e tem publicado artigos sobre o mesmo assunto em diversas publicações especializadas – PhotoResearcher, Compendium, Source Magazine, Belgian Platform for Photobooks, OCAT Institute Beijing.

Luís Pinto Nunes Licenciado em Artes Plásticas (2010), pós-graduado em Estudos Artísticos – Estudos Museológicos e Curadoriais (2011) e Mestre em Estudos de Arte – Museologia em Curadoria (2023), pela FBAUP. Em 2012 frequenta o programa Independent Study Program da Escola Maumaus de Jürgen Bock. É coordenador do Museu e Gabinete de Exposições da FBAUP, desenvolvendo projectos expositivos e curatoriais, é curador e gestor da sua colecção. Desde 2010, coordena LPN-LAP, onde desenvolve projectos curatoriais e expositivos, editoriais e consultoria em projectos culturais. Membro do comité de organização e curador da xCoAx – Computation Communication Aesthetics and X [2014-24]. Membro investigador do i2ADS – FBAUP. Membro da comissão de aquisições e obras de arte para a colecção da CMP [2018-19]. Integra a comissão de apreciação do Programa de Apoio a Projectos – Artes Visuais e Programa de Apoio Sustentado – Bienal 2025-2026 – Artes Visuais, da DGArtes [2024].

Susana Lourenço Marques Professora, curadora e editora independente. É Professora Associada na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e doutorada em Comunicação e Arte pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Universidade Nova de Lisboa. É Investigadora integrada do I2ADS/Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e autora dos livros Ether/um laboratório de Fotografia e História (Dafne, 2018) e Pó, cinza, nevoeiro – um ensaio sobre a ausência (2018), tendo co-editado Livros de Fotografia em Portugal da revolução ao Presente (2023), Lágrimas de Crocodilo (2022) e Pedagogy of the streets, Porto 1977 (2018). Como curadora destacam-se as exposições: Quem te ensinou? Ninguém, de Elvira Leite (2016), Galeria Portátil PLF (2018), Imagem/Técnica, os inventários de Emilio Biel (2020), Opacity of Water (2021), Loss of Aura (2022) Eternal Youth (2023) e No tempo dos Dias Lentos (2023). Co-fundou em 2014 a editora Pierrot le Fou.