Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Abertura de Ateliers de Artistas


9ª edição
Vários locais/Lisboa, Lisboa

O Cisne de Bayreuth


Jorge Calado
MUSEU DA MÚSICA, Lisboa

Novas Perspectivas:Descolonização, Arte e Museu


Kalaf Epalanga e Jochen Volz
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Jean-Marie Straub e Danièle Huillet


Lothringen! (Lorraine!) | Cézanne
Cinemateca, Lisboa

Em torno do Desenho


Encontro
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

HAPPY HOUR [HORA FELIZ]


Ryusuke Hamaguchi
Cinema Nimas, Lisboa

I Colóquio Internacional: GEORG SIMMEL: METAFÍSICO - “O SIGNIFICADO ETERNO DO TEMPORAL”



Museu Coleção Berardo, Lisboa

Building Stories. Histórias Construídas


Debate de encerramento
Garagem Sul, León

Palácio de Monserrate abre à noite com entrada livre



Palácio de Monserrate, Sintra

Eternity has no door of Escape | Encounters with Outsider Art


Arthur Borgnis
Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


ARMANDO CABRAL E JOÃO MOURÃO + LUÍS SILVA

Ciclo Colecionar Arte




MNAC - MUSEU DO CHIADO
Rua Serpa Pinto, 4
1200-444 LISBOA

08 JUN - 08 JUN 2018


Conversa: 8 Junho, às 18h30, no Museu Nacional do Chiado



7ª sessão do Ciclo Colecionar Arte

Armando Cabral, em conversa com o duo de curadores João Mourão e Luís Silva, dará a conhecer a coleção que reúne com a esposa Maria João Santos. Ser-se colecionador hoje, o gosto e os artistas eletivos, o projeto de divulgar as obras que desenvolve na sua residência são alguns dos temas que Cabral irá partilhar connosco.


:::


"A coleção é antes de mais um conjunto de apontamentos sobre uma viagem intelectual e autodidata pela arte contemporânea. Cerca de 120 artistas (maioritariamente internacionais) e 250 obras representam as preocupações idiossincrásicas do colecionador: aspectos conceptuais e pós-conceptuais, questões de índole política (feminismo, crítica institucional, pós-colonialismo), o desafio da convivência com a estética dos novos media (vídeo, instalações, fotografia), a arqueologia dos modernismos, a viabilidade da pintura. Principalmente as obras são contributos para uma tentativa utópica (talvez mesmo irracional) de responder a duas questões: O que é hoje a vanguarda? Qual é o critério de julgamento?".

Maria e Armando Cabral