Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Retrospetiva integral da obra cinematográfica


Michael Snow e Peggy Gale
Cinemateca, Lisboa


Lançamento da revista Propeller # 3
A Padaria do Povo, Lisboa

Problematizar a realidade – encontros entre arte, cinema e filosofia


Alain Brossat e Jean-Gabriel Périot
Goethe-Institut Portugal, Lisboa

CICLO PERFORMATIVO GEOMETRIA SÓNICA


Pedro Tudela e Miguel Carvalhais + Rafael Toral
Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, Ribeira Grande - Açores

14ª edição da ANIMAR


Cinema de animação
Solar - Galeria de Arte Cinemática, Vila do Conde

COSMO/POLÍTICA #3: O Mundo Começou às 5 e 47


Hugo Canoilas, Miguel Castro Caldas e Tatiana Macedo
Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira

20ª Sessão do Ciclo Colecionar Arte


Ana Marin/Jorge Gaspar e Raquel Guerra
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

PRÉMIO BÁRBARA VIRGÍNIA


Júlia Buisel
Cinemateca, Lisboa

Eu sou um nómada


Carlos Bunga
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

JOAN MIRÓ E A MORTE DA PINTURA


JOAN PUNIET MIRÓ E MARKO DANIEL
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


LUÍS MIGUEL OLIVEIRA E CARLOS NATÁLIO

Cinema e Revolução




ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR
Rua do Vale, nº7
1200-472 LISBOA

07 JUL - 07 JUL 2018


Debate: 7 de Julho, às 17h, no Atelier-Museu Júlio Pomar

Integrado na exposição “O que pode a Arte? 50 Anos do Maio de 68”, com curadoria de Nuno Crespo e Hugo Dinis, este debate pretende abordar as profundas tensões provocadas pelas imagens em movimento no contexto revolucionário. Partindo do Maio de 68, e das imagens por ele produzidas - sobretudo aquelas atribuídas a Jean-Luc Godard e ao Grupo Dziga Vertov - o debate centrar-se-á nas formas como a revolução exigiu um empenhamento político-imagético específico e como esse processo se foi reformulando ao longo da História.