Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

"Once in a lifetime [repeat]" e "Esboços de técnicas interiores"


João Onofre e Steve Paxton
Culturgest, Lisboa

Atrás do Atlas


Yu Lin Humm
Art Room, Lisboa

In defense of Abstract Expressionism


II Ciclo Conversas na Biblioteca
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

1000 Pieces Puzzle


Bootcamp
Performact, Torres Vedras

Stephanie Hare


Human Entities 2019
TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA, Lisboa

Ana Borralho e João Galante


Romance Familiar
Culturgest, Lisboa

Conversa


António Guerreiro, Emília Tavares, Joaquim Caetano e Maria de Fátima Lambert
Atelier-Museu Júlio Pomar, Lisboa

Aulas Gratuitas


Contacto-Improvisação
Culturgest, Lisboa

Zama


Lucrecia Martel
Ar.Co Centro de Arte e Comunicação Visual (Xabregas), Lisboa

Se Fores Preso, Camarada…


Documentário
Cine-Granadeiro Auditório Municipal,

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


ANDY WARHOL

CHELSEA GIRLS




CINEMATECA
Rua Barata Salgueiro, 39 LISBOA
1269-059 LISBOA

06 DEZ - 06 DEZ 2018


Projecção 6 de Dezembro, 21h30



Chelsea Girls (1966) de Andy Warhol

Inserido no ciclo 70 Anos, 70 Filmes. 1ª Parte: 35 Histórias da História da Cinemateca (II)

Exibido pela primeira vez na Cinemateca a 30 de junho de 1990 no mítico “Ciclo Andy Warhol”, com as suas infindáveis filas para as sessões, e mostrado novamente em 2003, numa memorável sessão com duas projeções simultâneas em “split screen”, que agora procura recriar-se, CHELSEA GIRLS é um dos mais célebres filmes de Warhol e um verdadeiro clássico do cinema underground. Mas CHELSEA GIRLS é também um desfile de muitas das “superstars” do artista americano e um retrato da cultura underground nova-iorquina. Entre elas encontramos, claro, Nico – para cuja imagem este filme foi determinante, como reforça o facto de o seu primeiro disco a solo (Chelsea Girl) ter quase o mesmo nome.