Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

(Euro)políticas: fotografia contemporânea depois de 1999


Conversas com artistas e curadores
Museu do Dinheiro, Lisboa

CONVERSAS FOTO-FÍLMICAS


com Rui Mourão
Arquivo Municipal de Lisboa/Núcleo Fotográfico, Lisboa

Trazer a Margem para o Centro


Ciclo de conversas
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Re· vis· ta #6


Lançamento
ZDB - Galeria Zé dos Bois, Lisboa

Paulo Brighenti em conversa com Miguel Mesquita


Encontr'Arte
Galeria Belo-Galsterer, Lisboa

O Génio de Leonardo da Vinci nos 500 Anos da sua Morte


Colóquio
Academia das Ciências de Lisboa, Lisboa

The artist as ethnographer


Conversas na Biblioteca de Arte
,

Manuel Rosa


Clareira Escultura 1984-2018
Fundação Carmona e Costa, Lisboa

Frente Decadente


Ciclo mensal
Desterro, Lisboa

Archiving Performance


Seminário
ESPAÇO ALKANTARA , Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


JOÃO BOTELHO, JOÃO MÁRIO GRILO, RITA AZEVEDO GOMES

MANOEL DE OLIVEIRA INTEGRAL – O VISÍVEL E O INVISÍVEL (II)




CINEMATECA
Rua Barata Salgueiro, 39 LISBOA
1269-059 LISBOA

09 JAN - 09 JAN 2019


COLÓQUIO: 9 de Janeiro, às 18h30


Colóquios no âmbito do ciclo "MANOEL DE OLIVEIRA INTEGRAL – O VISÍVEL E O INVISÍVEL (II)", com João Botelho, João Mário Grilo, Rita Azevedo Gomes


É já na próxima quarta feira 9 de janeiro às 18h30 (na Sala Luis de Pina) que se realizará a primeira das três conversas anunciadas sobre a obra de Manoel de Oliveira.

DA FRAQUEZA, UMA IMENSA FORÇA

Manoel de Oliveira e as condições estruturais de realização de filmes em Portugal.
Três realizadores conversam sobre a obra do autor de FRANCISCA e sobre o modo como olham para essa obra no contexto do cinema português. Que lições podemos tirar do percurso e dos filmes de Manoel de Oliveira?