Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:


1 000 056.ª Aniversário da Arte
CAPC - Círculo de Artes Plásticas, Coimbra


Visita orientada | Paula Rego: Anos 80
Casa das Histórias Paula Rego, Cascais

COMER O CORAÇÃO EM CENA


Vera Mantero e Rui Chafes
Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Guimarães

The 1960s in Iraque: Art and Culture


NADA SHABOUT
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

MANOEL DE OLIVEIRA INTEGRAL – O VISÍVEL E O INVISÍVEL (II)


João Botelho, João Mário Grilo, Rita Azevedo Gomes
Cinemateca, Lisboa

Vaivém


Bruno Pacheco e Bruno Marchand
Galeria Quadrum, Lisboa

Ciclo de cinema


Manoel de Oliveira Integral – O Visível e o Invisível
Cinemateca, Lisboa

19ª sessão do Ciclo Colecionar Arte


Pedro Alvares Ribeiro+José Pedro Croft
MNAC - Museu do Chiado , Lisboa

Ciclo de encontros, conversas e performances


Questões práticas: desaprender continuamente
Centro de Memória de Vila do Conde, Vila do Conde

LUZAZUL


Masterclass com Miguel Soares
FBAUP - Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


NADA SHABOUT

The 1960s in Iraque: Art and Culture




FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN
Av. de Berna, 45 A
1067-001 LISBOA

09 JAN - 09 JAN 2019


CONFERÊNCIA: 9 janeiro, 18h


NADA SHABOUT
The 1960s in Iraque: Art and Culture

Esta conferência discute as mudanças culturais que ocorreram em Bagdade nas décadas de 1950 e 1960, apresentando e contextualizando as questões e os protagonistas da cena artística iraquiana que se revelariam fundamentais no delineamento das trajetórias futuras.


:::


Os anos sessenta foram anos de intensa atividade e complexas mudanças políticas e culturais interrelacionadas pelo mundo. Foi uma década de revoluções e contrarrevoluções culturais. No Iraque, foi também um tempo de importantes alterações. Politicamente, os anos entre 1958 e 1968 foram marcados por tensões internas e importantes mudanças políticas e sociais pautadas por uma sequência de revoluções militares e períodos de instabilidade. No decorrer destes acontecimentos, o otimismo político dos anos cinquenta que conduziu à revolução de 1958 evaporou-se, em particular após os tumultos de 1963. A turbulência desta década reverberou pelo mundo árabe, por várias razões, culminando na Catástrofe de 1967, a Naksa(palavra árabe para retrocesso).Apesar das enormes desigualdades económicas, dos confrontos sociais e das pressões políticas externas, a década de 1950 fora um período de novas possibilidades, conduzindo a uma vida melhor. Sem que essas possibilidades se tivessem concretizado, acabou-se a esperança. Apesar de a geração de sessenta se caracterizar pela perda dessa esperança, os artistas dessa geração foram capazes de aproveitar o vigor cultural iniciado na década anterior ao mesmo tempo que negociavam realisticamente o seu presente, o que inevitavelmente trouxe um novo enquadramento às problemáticas de representação herdadas dos seus professores.

Esta conferência discute as diversas formulações e mudanças culturais que ocorreram em Bagdade nas décadas de 1950 e 1960, tal como manifestadas nos grupos e movimentos artísticos, bem como as suas preocupações sociopolíticas, apresentando e contextualizando as questões e os protagonistas da cena artística iraquiana que se revelariam fundamentais no delineamento das trajetórias futuras.

Conferência realizada em inglês, no âmbito da exposição "Arte e Arquitetura entre Lisboa e Bagdade".