Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Apresentação de publicações


Fernanda Fragateiro
STET - LIvros & Fotografias, Lisboa

UNDER THE GROUND


Ciclo de Filmes de Artistas e Cinema Experimental
Galeria Quadrum, Lisboa

Tempo de respiração — O corpo que cria


Workshop
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

OLAFUR ELIASSON E A EMERGÊNCIA CLIMÁTICA


MARK GODFREY
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Arte de Furtar / Furto na Arte


Lançamento do livro
Stolen Books, Lisboa

Levantar o mundo


Gustavo Sumpta
Culturgest, Lisboa

100% POP


NORA CHIPAUMIRE
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

Qualquer coisa de intermédio | O tempo das coisas


André Barata e Catarina Botelho
Museu da Cidade - Pavilhão Branco, Lisboa

CONSTRUÇÃO DE UM INDEX #1


Pensamento, Performance e Exposição
gnration, Braga

Design, Autarquia e Autonomia


Ethel Leon
FBAUL - Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


VÍTOR RUA & DALTONIC BROTHERS

Cine Voyage




ARQUIPÉLAGO - CENTRO DE ARTES CONTEMPORÂNEAS
Rua Adolfo Coutinho de Medeiros, s/n
9600-516 SÃO MIGUEL, AÇORES

14 FEV - 14 FEV 2020


Concerto “Cine Voyage”: 14 de fevereiro, pelas 21h30



Cine Voyage
Vítor Rua e Daltonic Brothers


Este concerto de Vítor Rua é acompanhado pela projeção de filmes antigos, manipulados ao vivo, com grafismos feitos por João Pedro Gomes e Paulo Abreu. Debruça-se sobre isoladas experiências fílmicas/sónicas, onde cada fotograma/som é autossuficiente e independente dos outros. Imaginem um filme que não tem um início – apenas comece – que não tem um fim – somente pare. Um filme onde cada sequência de imagens existe por si só, em vez de participar em qualquer progressão.

O objectivo é o de a um fotograma, acrescentar um outro e depois outro e ainda outro, e por aí contiguamente, sem qualquer relação aparente entre eles, excepto o puro encanto de construir um abstracto encadeamento fílmico. Se os eventos imagéticos num determinado filme se “colam” aos outros numa ordem em particular, então é porque essa ordem teria obviamente de influenciar ou mesmo constituir o sentido da própria obra: abstrações poéticas, movendo-se, criando tempo – tornando audível e visível o tempo!

O “tempo” neste filme musicado, é um “tempo virtual”; por contraste, a sequência de actuais e concretos acontecimentos, é um tempo absoluto. Assim, o “tempo” torna-se na componente essencial para a compreensão deste espectáculo. Por conseguinte, os eventos fílmicos, tornam-se num fluxo e transformam-se numa série encadeada de eventos que contêm não só o Tempo como o modelam lentamente. O espectáculo deve ser entendido como uma sucessão de “momentos”, sem direcção ou movimento definidos e onde se viaja no Tempo: Passado & Futuro.

A sessão é iniciada com a curta metragem” Barba” de Paulo Abreu, musicada ao vivo por Vitor Rua, que improvisará sobre a banda sonora, também da sua autoria.


Composição : Vitor Rua
Guitarra & electronics : Vitor Rua
Daltonic Brothers (João Pedro Gomes e Paulo Abreu)

Manipulação video ao vivo
Imagem e montagem : Paulo Abreu
Motion graphics : João Pedro Gomes