Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Lançamento on-line de Mare Aethiopicum


Paulo Quintas
PLATAFORMAS ONLINE,

The Heretics


Joan Braderman
Cinema São Jorge, Lisboa

Sobre a nudez crua da verdade, o manto diáfano da fantasia


Doug Hall, Bill Viola, Akram Zaatari
MAAT, Lisboa

DRIFITING BODIES/ FLUENT SPACES


Encontro / Conferência
Vários locais / Guimarães, Guimarães

O vento do pensamento..., por Stefania Fantauzzi


Ciclo Imagens de Pensamento
Casa das Artes (Porto), Porto

Today, I am just a Butterfly...


Patrícia Almeida
Centro Cultural Vila Flor, Guimarães

Constelações III: uma coreografia de gestos mínimos


Curadoria: Ana Rito e Hugo Barata
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Under the Ground


ciclo de filmes de artistas e cinema experimental
Galeria Quadrum, Lisboa

Primeira lição de voo + O melhor mundo possível


Gustavo Sumpta
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Formula for Fantasy


Dasha Birukova
Galeria Quadrum, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


CICLO DE FILMES DE ARTISTAS E CINEMA EXPERIMENTAL

UNDER THE GROUND




GALERIA QUADRUM
Rua Alberto Oliveira nº 52, Palácio dos Coruchéus
1700-019 LISBOA

13 MAR - 15 MAR 2020


Ciclo de Filmes: 13, 14 e 15 Março 2020 às 21h


UNDER THE GROUND - Ciclo de Filmes de Artistas e Cinema Experimental
Galeria Quadrum, Lisboa


Filmes de:
Anja Kirschner & David Panos; Arthur & Corinne Cantrill; Basim Magdy; Gary Beydler; Karrabing Film Collective; Lisa Rave; Louis Henderson; Nicholas Mangan; Rosa Barba; Sandra Lahire; Toshio Matsumoto; Ursula Biemann; Yto Barrada

Curadoria:
Sara Castelo Branco
Hugo de Almeida Pinho


Formulado no século XVIII por James Hutton, o conceito “deep time” definiu que a temporalidade da terra era configurada como um ciclo dinâmico de fluxos estratificados em várias temporalidades. As escavações ao interior da terra constituem assim uma espécie de viagem temporal ao passado, mas também uma forma de previsão das alterações futuras do planeta. Estas escalas geológicas tornaram-se portanto essenciais no entendimento de conceitos que referem um período terrestre em que as actividades humanas têm um impacto global no funcionamento dos ecossistemas do planeta: em que o tempo profundo geológico é corrompido pelo tempo da conveniência humana. Neste contexto, Jean-Luc Nancy afirmou que hoje se vive um processo de "suplementação" e "suplantação": a tecnologia integra matéria-prima da natureza nos seus dispositivos, ao mesmo tempo que essa mesma tecnologia transforma e esgota os recursos naturais para os seus próprios fins. Desta forma, a matéria geológica tornou-se pertinente para compreender a nossa circunstância tecnológica, mas sobretudo para visibilizar determinados custos laborais, sociais e ecológicos implícitos nestas práticas pretensamente virtuais e imateriais.

"Under the Ground" propõe apresentar um conjunto de obras de diferentes temporalidades, imagéticas e geografias – que vão do Gana, às ilhas do Pacifico, à Grécia, ao Japão, à Antártica, à América do Norte ou ao deserto do Saara – e que procuram revelar questões centrais para uma compreensão alargada sobre a temporalidade profunda da terra, e a sua relação crítica com os tempos contemporâneos da economia e da tecnologia. A primeira sessão apresenta um conjunto de filmes que reflectem sobre a ligação entre a história do planeta e a história criada pela humanidade, tratando temas como a materialidade da tecnologia, a ecologia, a mineralogia ou o espiritismo indígena. A segunda sessão apresenta um conjunto de filmes que convocam uma dimensão distópica sobre as consequências da exploração da terra, projectando uma temporalidade futura e apocalíptica – seja através de perspectivas ligadas ao eco-feminismo e à mão-de-obra feminina, à transformação corporal e paisagística, ou, ao ponto de vista das cosmologias indígenas. A terceira sessão propõe um conjunto de filmes que trabalham sobre tensões telúricas, ancestrais e sensoriais, dialogando o tempo profundo geológico da Terra com as capacidades técnicas do filme.


:::


SESSÕES


SESSÃO 1
13 Março, 21h00

Lettres du Voyant (2013, 40’)
Louis Henderson (UK)

Ultimate Substance (2012, 34’)
Anja Kirschner & David Panos (DE/GR-US)

Europium (2014, 21’)
Lisa Rave (DE)

Faux Départ (2015, 22’43’’)
Yto Barrada (MA)


SESSÃO 2
14 Março, 21h00

Subconscious Society, Feature (2014, 39’)
Rosa Barba (DE / US)

Uranium Hex (1987, 11’)
Sandra Lahire (UK)

The Mermaids, or Aiden in Wonderland (2018, 26’29’’)
Karrabing Film Collective (AUS)

Nauru – Notes from a Cretaceous World (2010, 14’55’’)
Nicholas Mangan (AUS)

Subatlantic (2015, 11’24’’)
Ursula Biemann (SWZ)


SESSÃO 3
15 Março, 21h

The Second Journey (To Uluru) (1981, 74’)
Arthur and Corinne Cantrill (AUS)

The Song of Stone (1963, 24’30’’)
Toshio Matsumoto (JP)

No Shooting Stars (2016, 14’25’’)
Basim Magdy (EGY)

Hand Held Day (1975, 6’) - projecção de película em 16mm
Gary Beydler (US)