Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

O "Roman Porno" da Nikkatsu [1971-2016]


Ciclo de Cinema
Cinema Nimas, Lisboa

We are the King of Ventilators (Delirium Loop)


Tim Etchells / Jim Fletcher / Chris Thorpe
Teatro do Bairro Alto - TBA, Lisboa

Conversas online


Grada Kilomba
PLATAFORMAS ONLINE,

Lançamento do Catálogo Uma série de prestações absolutamente improváveis, porém extraordinárias


Arthur Jafa
Museu de Serralves - Museu de Arte Contemporânea, Porto

«A Minha Obra e Eu»


Albuquerque Mendes
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Violoncelo Explodido: Fragmentação e Dispersão como estratégias para uma prática de improvisação site-specific


Ricardo Jacinto
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Conversa MART


Gonçalo Pena
Córtex Frontal - Residência de Arte e Investigação, Arraiolos

As coisas fundadas no silêncio


CINEMA
PLATAFORMAS ONLINE,

MÁSCARA DE AÇO CONTRA ABISMO AZUL


Paulo Rocha
Cinemateca, Lisboa

BoCA Online


Programa de Criação Artística e Circulação de Pensamento
PLATAFORMAS ONLINE,

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


RICARDO JACINTO

Violoncelo Explodido: Fragmentação e Dispersão como estratégias para uma prática de improvisação site-specific




MUSEU COLEÇÃO BERARDO
Praça do Império
1499-003 LISBOA

17 JUN - 17 JUN 2020


Conferência: Quarta-feira, 17 junho, às 17h, no Auditório do Museu. Entrada gratuita


Violoncelo Explodido: Fragmentação e Dispersão como estratégias para uma prática de improvisação site-specific
Conferência por Ricardo Jacinto


A música é uma prática temporal cujas raízes podem ser eminentemente espaciais. Esta tese enunciou um modelo conceptual e as manifestações práticas de um projeto de pesquisa no contexto da improvisação musical a solo, com base numa relação particular entre improvisação livre e práticas artísticas site-specific. As atividades de Ricardo Jacinto como violoncelista e artista sonoro com formação académica em arquitetura e escultura foram articuladas neste contexto para pensar a improvisação a solo através de um formato de apresentação híbrido, entre instalação e concerto, num tempo e espaço específicos.

Ricardo Jacinto é músico, artista plástico e arquiteto com pesquisa artística e académica focada na relação entre som e território em práticas transdisciplinares. É membro fundador e co-diretor artístico do colectivo OSSO, e é doutorado pelo Sonic Arts Research Center, Queens University Belfast. Desde 1998 tem apresentado o seu trabalho em exposições individuais e coletivas, concertos e performances em Portugal e na Europa, e tem colaborado extensivamente com outros artistas, músicos, arquitetos e performers. A sua música foi editada pela Clean Feed, Shhpuma Records e Creative Sources. É representado pela Galeria Bruno Múrias, e as suas instalações estão presentes em várias coleções nacionais. Foi co-representante de Portugal na 10.ª Bienal de Arquitetura de Veneza de 2006, e o seu trabalho foi apresentado em diferentes locais.


:::

Apresentada no âmbito do X Ciclo de Conferências Internacionais intitulado «Destacam-se os sons da noite funda», organizado pela Escola de Comunicação, Artes e Tecnologias de Informação da Universidade Lusófona, em conjunto com o Museu Coleção Berardo.