Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Lançamento on-line de Mare Aethiopicum


Paulo Quintas
PLATAFORMAS ONLINE,

The Heretics


Joan Braderman
Cinema São Jorge, Lisboa

Sobre a nudez crua da verdade, o manto diáfano da fantasia


Doug Hall, Bill Viola, Akram Zaatari
MAAT, Lisboa

DRIFITING BODIES/ FLUENT SPACES


Encontro / Conferência
Vários locais / Guimarães, Guimarães

O vento do pensamento..., por Stefania Fantauzzi


Ciclo Imagens de Pensamento
Casa das Artes (Porto), Porto

Today, I am just a Butterfly...


Patrícia Almeida
Centro Cultural Vila Flor, Guimarães

Constelações III: uma coreografia de gestos mínimos


Curadoria: Ana Rito e Hugo Barata
Museu Coleção Berardo, Lisboa

Under the Ground


ciclo de filmes de artistas e cinema experimental
Galeria Quadrum, Lisboa

Primeira lição de voo + O melhor mundo possível


Gustavo Sumpta
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Formula for Fantasy


Dasha Birukova
Galeria Quadrum, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


JOÃO FERRO MARTINS, JOANA GUERRA E ISADORA ALVES

LADO B: JOÃO FERRO MARTINS #1




MAAT
Av. de Brasília, Central Tejo
1300-598 LISBOA

11 JUL - 11 JUL 2020


João Ferro Martins apresenta CATARATA: 11 de Julho, às 17h
Concerto encenado com Joana Guerra (violoncelo) e Isadora Alves (leitura)




CATARATA: Volume contínuo que se despenha de certa altura por disposição do tempo. Queda de som em forma de cortina, caudal coletivo e contínuo do qual fazem parte os artistas das áreas da música, artes visuais e performance: André Tasso, Bruno Humberto e João Ferro Martins. Entre os sintetizadores alterados pelo bloco de efeitos, samples, bateria e guitarra elétrica, tem lugar um acontecimento que se define pelas possibilidades combativas e aglutinadoras destes objetos sonoros. Enquanto a síntese debita um volumoso corpo harmónico a guitarra pode tornar-se puro ruído. Ou a mecânica criada pelo sampler e os ritmos hipnóticos obrigam os outros elementos a procurar lugares mais tonais. A fluidez da cadência musical, da sintonia e de uma incontornável aceitação do presente dita os encontros e desencontros que poderão promover a mais frutuosa sinergia entre o acontecimento sonoro, os músicos e o público.


:::


Lado B
As designações “lado A” e “lado B” referem-se aos dois lados de um disco ou de uma cassete, mas também revela algo sobre o conteúdo. O A é tipicamente o lado mais oficial, o que inclui o hit. O B é um lado mais informal e inclui muitas vezes uma faixa de bónus. Este programa do maat, desenvolvido a par da exposição The Peepshow – Artistas da Coleção de Arte Portuguesa Fundação EDP, foca-se no lado informal dos artistas, no seu lado B. Pretende-se criar espaço para que se estabeleça uma relação mais casual entre o público e o artista. Em cada sábado podemos esperar o inesperado no museu: um concerto, uma sessão de desenho com um bom vinho, uma aula de ioga sobre sonhos… será o lado B do artista a revelar-se.