Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

De que é feita uma coleção? Corpo e Matéria


Ciclo de conversas
Centro de Arte Contemporânea de Coimbra, Coimbra

Welcome to Paradise!


Luís Ribeiro e Raquel Guerra
Espaço MIRA, Porto

Cock, Cock… Who’s There?


Samira Elagoz
Lux Frágil, Lisboa

Atlântico


Tiago Cadete
Teatro Nacional D.Maria II, Lisboa

Anywhere Else


António Olaio
TAGV, Coimbra

CICLO DE FILMES


CAO GUIMARÃES
MAAT, Lisboa

All de light that's ours to see


Judith Barry e Giovanbattista Tusa
Lumiar Cité - Maumaus, Lisboa

Jornadas Lúcidas *6*


Oh BLUE!
Oporto, Lisboa

Festival Imago Lisboa


Foto Book Market
Ateliers da Penha, Lisboa

Palavra à Mesa


Adolfo Luxúria Canibal, Marta Abreu, Ana Deus e Alexandre Soares
Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural, Porto

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


CAO GUIMARÃES

CICLO DE FILMES




MAAT
Av. de Brasília, Central Tejo
1300-598 LISBOA

18 NOV - 20 NOV 2020


Ciclo de filmes de Cao Guimarães: 18 a 20 de Novembro, das 11h às 19h




CAO GUIMARÃES: CICLO DE FILMES

Curadoria: Inês Grosso


Cao Guimaraes (Belo Horizonte, Brasil, 1965), um dos mais importantes cineastas e artistas brasileiros da atualidade, integra a programação do maat Mode 2020 com um ciclo de filmes especificamente pensado para o público português, pouco familiarizado com o seu trabalho. O maat apresenta uma seleção abrangente de longas e curtas-metragens realizadas nas últimas duas décadas, incluindo Da janela do meu quarto (2004), Sopro (2000), Andarilho (2006) e O Homem das Multidões (2013).

Sem guião predefinido e sempre com curiosidade e atenção ao seu entorno, a maioria dos filmes de Cao Guimaraes são exercícios contemplativos de ressignificação do quotidiano, numa tentativa poética e introspetiva, de captar (e reter) o curso irreversível do tempo e de todos os acontecimentos triviais que de outra forma se perderiam no esquecimento. O efémero, o aleatório, os sons do vazio, o gesto e a memória convertem-se no mote inspirador e impulsionador de um artista continuamente à procura de novas formas de ver, ouvir e sentir o mundo. Outros trabalhos, ainda que sejam estruturados a partir de conceitos e proposições formais que orientam a narrativa, permanecem igualmente abertos ao acaso e aos estímulos do mundo externo, criando uma tensão entre o ficcional e o documental e entre o tempo cinematográfico e o tempo real.

Representado nas mais prestigiadas coleções internacionais, como as da Tate Modern, do MoMA, do Guggenheim Museum, da Fondation Cartier, do Instituto Inhotim e do Museo Nacional Thyssen-Bornemisza, Guimarães tem sido presença regular em bienais e festivais internacionais de cinema onde continua a arrecadar vários prémios e distinções. Este ciclo, com curadoria de Inês Grosso, representa um momento único para conhecer a genialidade de uma figura ímpar do cinema da América Latina e um convite para embarcar numa viagem pela história, cultura e tradições de Minas Gerais e do Brasil.



Programa de longas:

18/11 - 17.00
Andarilho, 2006, 80'00'

19/11 - 17:00
Acidente, 2006, 72'00'

20/11 - 17:00
Ex-isto, 2010, 86'00'



Programa de curtas (em loop):

18/11, 19/11 e 20/11, das 11.00 às 17.00


Aula de anatomia, 2003, 08'00"
O inquilino, 2010, 10'34"
Between, 2000, 10'45"
Da janela do meu quarto, 2004, 5'10"
Concerto para clorofila, 2004, 07'25"
Nanofania, 2003, 3'30"
Brasília, 2011, 13'35"
Quarta-feira de cinzas, 2006, 05'48"
Drawing, 2011, 01'11"
Sopro, 2000, 5'30"
Palace Hotel, 2015, 4'00"
Word-world, 2001, 07'10"
Filme em anexo, 2015, 17'00"
Peiote, 2007, 4'10"
Hypnosis, 2001, 7'30"
Sin peso, 2007, 7'00"
Limbo, 2011, 17'00"
El pintor tira el cine a la basura, 2008, 5'00"