Links

Subscreva agora a ARTECAPITAL - NEWSLETTER quinzenal para saber as últimas exposições, entrevistas e notícias de arte contemporânea.



ARTECAPITAL RECOMENDA


Outras recomendações:

Anywhere Else


António Olaio
TAGV, Coimbra

CICLO DE FILMES


CAO GUIMARÃES
MAAT, Lisboa

All de light that's ours to see


Judith Barry e Giovanbattista Tusa
Lumiar Cité - Maumaus, Lisboa

Jornadas Lúcidas *6*


Oh BLUE!
Oporto, Lisboa

Festival Imago Lisboa


Foto Book Market
Ateliers da Penha, Lisboa

Palavra à Mesa


Adolfo Luxúria Canibal, Marta Abreu, Ana Deus e Alexandre Soares
Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural, Porto

O Acervo Manoel de Oliveira


Teresa Lima, Sónia Oliveira e António Preto
Casa do Cinema Manoel de Oliveira, Porto

OpenStudio19


Sofia Leitão e Diogo Guerra Pinto
Openstudio19, Lisboa

3.ª edição da TRAÇA – Mostra de Filmes de Arquivos Familiares


Marvila e Alvalade
Vários locais/Lisboa, Lisboa

Conversas: Um Estado da Arte


Paulo Pires do Vale e Rui Chafes
Brotéria, Lisboa

ARQUIVO:

O seguinte guia de eventos é uma perspectiva prévia compilada pela ARTECAPITAL, antecipando conferências, seminários, cursos ou outras iniciativas. Envie-nos informação (press-release, programa e imagem) dos próximos acontecimentos. Seleccionamos três eventos periodicamente, divulgando-os junto dos nossos leitores.

 


CAO GUIMARÃES

CICLO DE FILMES




MAAT
Av. de Brasília, Central Tejo
1300-598 LISBOA

18 NOV - 20 NOV 2020


Ciclo de filmes de Cao Guimarães: 18 a 20 de Novembro, das 11h às 19h




CAO GUIMARÃES: CICLO DE FILMES

Curadoria: Inês Grosso


Cao Guimaraes (Belo Horizonte, Brasil, 1965), um dos mais importantes cineastas e artistas brasileiros da atualidade, integra a programação do maat Mode 2020 com um ciclo de filmes especificamente pensado para o público português, pouco familiarizado com o seu trabalho. O maat apresenta uma seleção abrangente de longas e curtas-metragens realizadas nas últimas duas décadas, incluindo Da janela do meu quarto (2004), Sopro (2000), Andarilho (2006) e O Homem das Multidões (2013).

Sem guião predefinido e sempre com curiosidade e atenção ao seu entorno, a maioria dos filmes de Cao Guimaraes são exercícios contemplativos de ressignificação do quotidiano, numa tentativa poética e introspetiva, de captar (e reter) o curso irreversível do tempo e de todos os acontecimentos triviais que de outra forma se perderiam no esquecimento. O efémero, o aleatório, os sons do vazio, o gesto e a memória convertem-se no mote inspirador e impulsionador de um artista continuamente à procura de novas formas de ver, ouvir e sentir o mundo. Outros trabalhos, ainda que sejam estruturados a partir de conceitos e proposições formais que orientam a narrativa, permanecem igualmente abertos ao acaso e aos estímulos do mundo externo, criando uma tensão entre o ficcional e o documental e entre o tempo cinematográfico e o tempo real.

Representado nas mais prestigiadas coleções internacionais, como as da Tate Modern, do MoMA, do Guggenheim Museum, da Fondation Cartier, do Instituto Inhotim e do Museo Nacional Thyssen-Bornemisza, Guimarães tem sido presença regular em bienais e festivais internacionais de cinema onde continua a arrecadar vários prémios e distinções. Este ciclo, com curadoria de Inês Grosso, representa um momento único para conhecer a genialidade de uma figura ímpar do cinema da América Latina e um convite para embarcar numa viagem pela história, cultura e tradições de Minas Gerais e do Brasil.



Programa de longas:

18/11 - 17.00
Andarilho, 2006, 80'00'

19/11 - 17:00
Acidente, 2006, 72'00'

20/11 - 17:00
Ex-isto, 2010, 86'00'



Programa de curtas (em loop):

18/11, 19/11 e 20/11, das 11.00 às 17.00


Aula de anatomia, 2003, 08'00"
O inquilino, 2010, 10'34"
Between, 2000, 10'45"
Da janela do meu quarto, 2004, 5'10"
Concerto para clorofila, 2004, 07'25"
Nanofania, 2003, 3'30"
Brasília, 2011, 13'35"
Quarta-feira de cinzas, 2006, 05'48"
Drawing, 2011, 01'11"
Sopro, 2000, 5'30"
Palace Hotel, 2015, 4'00"
Word-world, 2001, 07'10"
Filme em anexo, 2015, 17'00"
Peiote, 2007, 4'10"
Hypnosis, 2001, 7'30"
Sin peso, 2007, 7'00"
Limbo, 2011, 17'00"
El pintor tira el cine a la basura, 2008, 5'00"